lavapes

Por: Joaquim Tiago

dou.tri.na

s. f. 1. Conjunto de princípios em que se baseia um sistema religioso, político ou filosófico. 2. Opinião em assuntos científicos. 3. Catequese cristã.[1]

Cristianismo Legalista

Este é um Deus do evangelho da graça. Um Deus que, por amar-nos, enviou, envolto em carne humana, o único Filho que jamais tivera. Seu filho aprendeu a andar, tropeçou e caiu, chorou por seu leite, transpirou sangue na noite, foi fustigado com acoite e recebeu muitas cusparadas, sendo preso à cruz e morrendo, não sem sussurrar perdão sobre todos nós.

O Deus do cristão legalista, por outro lado, é com frequência imprevisível, errático e capaz de toda sorte de preconceito. Quando enxergamos Deus dessa forma, sentimos compelidos a praticar algum tipo de mágica para aplacá-lo. O culto dominical passa ser uma apólice de seguro supersticiosa contra seus caprichos. Esse Deus espera que todas as pessoas sejam perfeitas e sejam a todo instante capazes de controlar sentimentos e pensamentos. Quando os dilacerados que detêm esse conceito de Deus fracassam – o que inevitavelmente o correrá -, em geral contam que serão punidos. Assim, perseveram nas práticas religiosas ao mesmo tempo que lutam por manter uma imagem oca de um eu perfeito. A luta em si exaustiva. Os legalistas nunca conseguem viver à altura das expectativas que projetam para Deus. (Mc 7.6-7). (MANNING. Meditação para Maltrapilhos, pg. 148).[2]

Conjunto de Princípios (Cl 1:15-20)

O conjunto de princípios não é simplesmente um conjunto de regras. O conjunto de princípios é um conjunto de origem e fundamento para qualquer regra.

Creio na revelação bíblica e também a vejo como um conjunto de valores fundamentais para minha vida e para vida da comunidade. Por esse conjunto que procuro dar rumo ao caminhar. Sem preconceito!

Sei também das várias formas de interpretações, regras e suposições existentes, onde mora o perigo dos desvios de conduta, dos desvios de orientações. Busco saber diariamente via Graça educadora do Senhor o que é perfeito, bom e agradável ao Senhor, como sacrifício vivo, culto consciente (Rm 12:1,2).

O principio fundamental para todas as coisas, questões ou frutos é o amor. Deus é amor (1Jo 4:16)! Creio que toda ação comunitária, e todo exercício dos dons relatados pelo apóstolo Paulo na primeira carta aos Coríntios (1Co 12) e também na carta aos Efésios (Ef 4:11) é tudo fruto de uma boa consciência que por sua vez é fruto do amor. Amor procedente de um coração puro (1Tm 1:5).

Para compartilhar da identidade do Pai Eterno e seus princípios esforçarei-me exercitando o amor. A ação motivadora para todas as coisas é o amor – A Deus e ao próximo (Mt 22:37-39). É um principio delineador de conduta, de valores contra o eu.

Assim o que podemos fazer na vida e na comunidade é pensando no outro, no relacionamento (espiritual), construindo valores fundamentados em boas obras. Essa ação requer renuncia. Sei que fui convocado para ser discípulo e ensinar (testemunhar) a guardar todas as boas coisas (Mt 28:19,20). É a vida de Cristo me ensinando como o homem deve ser. Já não vivo mais ou não vive mais o eu, mas Cristo vive em mim (Gl 2:20). É a luta entre o espírito e a filia (doença) dos sentidos carnais, entre o ego e a cruz (Gl 5:16-18).

Não serei mais escravo, posso não querer determinadas coisas por amor a Deus e ao próximo. Esses são princípios que regem a vida, assim luto para manter a fé e a boa consciência (1Tm 1:19).

Os valores (espirituais) que regem agora os princípios esta presente na vivência onde compartilho com outras pessoas boas obras em cada lugar e em cada coisa (1Co 2:14,15). Os valores de toda comunidade de discípulo do Mestre só podem ser baseados em princípios bíblicos; revelados. Todos são alcançados integralmente por bons frutos – dando liberdade e trazendo libertação aos encarcerados.

Por isso o Apóstolo Paulo escreve na maior parte de suas cartas exortações às igrejas, corrigindo várias questões, onde a comunidade fugiu aos princípios elementares. Exageraram e faltaram com boa consciência entre as pessoas. Por muitas vezes o Apóstolo tinha que voltar ao “leite espiritual” porque o povo não amadurecia (1Co 3:1-3). O corpo ficava prejudicado com pessoas fracas e doentes. As pessoas não sabiam mais discernir a si próprio (1Co 11:17-34).

Para chegar a uma sábia conclusão é valido pensar em uma das sete cartas direcionadas as igrejas da Ásia pelo Apóstolo João que se encontra no livro do Apocalipse. A carta à igreja de Éfeso (Ap 2:1-7), principal comunidade local, é uma séria advertência, por não dizer fatal para o corpo. Éfeso é uma comunidade boa e zelosa com trabalhos árduos e perseverantes contra os falsos apóstolos, impostores que abusam da boa fé. Porém havia abandonado o ESSÊNCIAL! Essencial para junta dos membros (Ef 4:14-16): O primeiro amor (Ap 2:4)!

Por vezes somos levados por vento de princípios que nos faz esquecer do Cristo; o que se entregou. Para nós discípulos do Mestre o maior valor cultivado é perder a própria vida para que Cristo seja agora a nova vida (Mt 10:39). Ficamos tentando ganhar o que já não tem mais sentido, esses são princípios do sistema perverso dominado pelo anti-Cristo, deste tempo (hipermoderno[3]) de egoísmo e individualismo.

__________________________________________________

[1] Dic Michaelis – UOL
[2] MANNING, Brennan. Meditações para Maltrapilhos. SP: Ed. Mundo Cristão
[3] Hipermodernidade é o termo criado pelo filósofo francês Gilles Lipovetsky para delimitar o momento atual da sociedade humana. O termo “hiper” é utilizado em referência a uma exacerbação dos valores criados na Modernidade, atualmente elevados de forma exponencial. A Hipermodernidade é caracterizada por uma cultura do excesso, do sempre mais. Todas as coisas se tornam intensas e urgentes. O movimento é uma constante e as mudanças ocorrem em um ritmo quase esquizofrênico determinando um tempo marcado pelo efêmero, no qual a flexibilidade e a fluidez aparecem como tentativas de acompanhar essa velocidade. Hipermercado, hiperconsumo, hipertexto, hipercorpo: tudo é elevado à potência do mais, do maior. O termo Hipermodernidade como idéia de exacerbação da Modernidade surgiu em meados da década de 70 e ganhou destaque em 2004 graças ao estudo de autores franceses e ao livro “Os tempos hipermodernos” do próprio Lipovetsky.


Anúncios

3 comentários sobre “O Amor é Essencial

    1. Caro amigo, sou grato por seu comentário.
      Só não me lembro do artigo anterior referido. Esse que não esta mais no blog, onde se fala que a Ig. do Novo Testamento não existe mais.
      Sobre igrejas que estão fora dos sistemas, a propósito convivo com um líder de uma nesses moldes na minha cidade, realmente elas existem.
      Continue lendo e comentando por favor!

      Curtir

  1. Olá Caro colega!

    Em um artigo anterior, do qual já não está mais nesse site, você afirma que a Igreja Cristã do Novo Testamento não existe mais. Dentro de seus argumentos, do qual faz parte quase todo conteúdo do Blog, você mostra as diferenças que existem entre o catolicismo e principalmente o protestantismo do cristianismo primitivo. Sugiro que você pesquise mais sobre o tema antes de tomar todas as conclusões. Há muitas congregações cristãs mundo a fora que não estão ligadas a nenhum pensamento “pseudo-cristão” (seja ele católico ou protestante) que não seja o próprio evangelho e a organização das Igrejas Locais no período que corresponde ao vivido pelas Igrejas Primitivas. Igrejas sem “denominação” que seguem o modelo moral e comunitário segundo o modelo do novo testamento. Essas Igrejas estão espalahas pelo mundo inteiro, inclusive no Brasil. Obviamente, problemas existem, pois onde há homens, certamente há problemas, mas a luz do evangelho muitos deles são superados a medida que surge. Tais Igrejas não se fundamentam sobre um modelo “teológico” uriundo de alguma “tradição”, seja ela qual for. O evangelho é o centro da fé, que cada doutrina ensinada por Jesus e pelos seus apóstolos, sejam eles em termos de moralidade ou doutrina são analisados de um ângulo que não busca nada a não ser a própria verdade sem proselitismos.

    Pesquise, busque, e talvez encontre na sua própria cidade pessoas que seguem o evangelho dessa forma: partindo o pão todos os domingos e vivendo exclusivamente segundo o evangelho.

    Que a paz de Deus Esteja com todos nós.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s