por: Joaquim Tiago

Nosso país vive um momento de grande tristeza. Estamos todos assustados com tamanha tragédia, tragédia essa que vem se repetindo ao longo dos anos e cada vez mais, com dimensões ainda maiores. O mundo esta sofrendo com a força das mudanças repentina da natureza. Tsunami como da Índia, furacões como Catrina, vulcões acordando, terremotos que arrasaram tudo como o do Haiti e Chile, fortes chuvas com vários alagamento e estiagem de forte seca em outros lugares como na África. Fatos apocalípticos figuram imagens e cenas de um fim.

As imagens que assistimos nesse desastre que vitimou até então quase 700 pessoas na região Serrana do Rio de Janeiro é de cortar o coração. Famílias que perderam tudo, pessoas que perderam todos os parentes mais próximos. O bombeiro trabalhando no resgate da própria família não conseguiu e morreu junto com todos.

Umas das imagens que mais chamou atenção de todos foi quando uma senhora em desespero pede socorro aos vizinhos. Eles lançam uma corda onde ela se amarra e é puxada, logo após sua casa é levada pela correnteza e a força da água. Dentre os acontecimentos teve um que me impressionou pela força do cuidado e vontade de viver, quero ficar com ele como lição para vida, do Pai que protegeu seu filho soterrado debaixo de todos os escombros. Segue o relato da reportagem:

“Bebê de seis meses foi resgatado com vida em meio aos escombros em Nova Friburgo. Um bebê de seis meses foi salvo por volta das 20h30 desta quarta-feira (12) dos escombros no centro de Nova Friburgo. Os bombeiros que trabalharam no resgate ficaram bastante emocionados e vibraram bastante quando conseguiram retirar o bebê, um menino, sem arranhões. O pequeno Nicolas estava vestido com apenas uma blusa e não chorou em nenhum momento. ‘Agradeço a Deus. Isso é um milagre’, disse, bastante emocionado, Ademilson Guimarães, avô do bebê, que foi encaminhado por pediatras para o Hospital Raul Sertã. Cerca de 30 minutos depois, os bombeiros conseguiram resgatar também com vida o pai de Nicolas, Wellington da Silva Guimarães, de 25 anos, que passa bem. Segundo os bombeiros, ele ficou cerca de 15 horas soterrado, abraçado ao filho. Os dois estavam na casa da sogra de Wellington, que segue desaparecida, assim como a mulher dele, mãe do bebê. O trabalho de resgate durou quase quatro horas, segundo os bombeiros. Segundo o capitão Leonard, oficial médico do Corpo de Bombeiros, o resgate foi possível graças a experiência da equipe. “Esse resgate foi emocionante e se deve à equipe altamente qualificada que atuou no Bumba e no Haiti”, disse o oficial, lembrando da atuação dos bombeiros em outras tragédias.” Portal G1

Note que a criança não chorou e passou soterrado com o Pai durante 15 horas, o que corresponde mais da metade de um dia. Esse é o abraço e a força do amor de um Pai em meio a uma grande tragédia.

A terra foi e esta sendo maldita por causa do pecado do homem? (Gn 3.17-19; 6.5) Estamos praticamente vivendo novamente o os dias de Noé nessa terra. A maldade campeã por todos os lados e as pessoas não se preocupa. A inclinação do coração do homem sempre foi e é para o mal. A maldição que envolve o pecado do homem destrói a terra por que destrói a natureza.

Neste momento como encontrar um culpado, como condenar os responsáveis? Pessoas construíram suas residências ou seu pequeno espaço nos lugares de risco, arriscaram sonhar com um lugar para morar.

Estamos enfrentando todos os limites, não os conhecemos. Do outro lado não existe legislador que pratique a informação, que delimite para o beneficio de todos, ou pelo menos da maior parte das pessoas. Quase todos querem para si, um espaço e esquece que a natureza é de todos, para todo eco-sistema.

Um lamaçal de pecado esta levando tudo com a força da correnteza. (Is 42.14-15) Como uma avalanche e como um derramar o pecado esta levando tudo, e tudo esta indo com que encontra pela frente. É a força da correnteza, nenhuma casa esta ficando de pé, uma casa física, uma casa familiar, um valor para que todos sejam beneficiados e usufrua sem dor. O descaso de quem sabia que não pode descaracterizar os limites da natureza. E agora todos sofremos e continuaremos sofrendo se não mudarmos a maneira de lidar com o bem público, com o bem de Deus a todos.

Como sobreviveremos?

O tempo esta cada vez mais próximo! (Ap 22.6-21)

Vejo esse pai herói nessa tragédia como o Espírito Santo protegendo e guardando seus filhos como uma criança nesse mundo onde tudo esta indo literalmente por água abaixo, tudo esta sendo destruído pelo pecado que afetou terrivelmente a terra.

Estamos enfrentando algo que não vai parar. As previsões são que as tragédias vão aumentar, caminhamos para cada fim próximo. Precisamos saber quem vai nos guardar se não iremos ser levados por toda correnteza da vida.

O Espírito Santo é o amigo do Noivo e agora ele cuida de sua noiva e os dois em alta voz dizem, “Vem!” Aqueles que tem os olhos abertos sabe que Ele esta voltando.

Quando a tragédia deste apocalipse lhe abater quem vai te salvar?

Anúncios

2 comentários sobre “O Abraço de Deus

  1. Ma-ra-vi-lho-so!
    Só discordo da parte que disse que nosso coração é voltado para o que é ruim. Se assim fosse não perceberíamos os males. Como a mosca não percebe a imundície de onde vive. Por sermos naturalmente bons percebemos o mau e o mal e queremos melhorar. Queremos a Verdade, o Bem e o Belo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s