Estado do Ser

Um sentido incompleto

Um complemento que ainda falta

Para que sentido vamos?

Para que ficarmos perguntando?

 

Meu dia ainda não terminou

Meu folego não interrompeu

Minha esperança pediu outra

Meu coração buscou segurança

 

Ainda não sabemos o fim

A história para uns terminou

Para outros apenas começou

A história possível é uma só

 

Para que sair correndo?

Pesso cuidado para não se perder

Tudo que vejo não faz muito sentido

Para onde vou e onde posso chegar

 

Saber onde estou é o que ainda pode faltar

Não da para ficar parado onde tudo muda

Meu lugar é lugar de mudança sem saída

Esse lugar foi onde comecei é o que se completa nas idas e vindas

 

Joaquim Tiago

27/6/11

Anúncios

A Revolução

Se há alguma prioridade na vida pessoal ou profissional do cristão mais importante que o senhorio de Jesus Cristo, ele se desqualifica como testemunha do evangelho e como participante de terna revolução. Desde o diaem que Jesusrompeu os grilhões da morte e a era messiânica irrompeu na história, há uma nova pauta, um conjunto singular de prioridades e uma hierarquia revolucionária de valores para o crente. O carpinteiro não simplismente refinou a ética platônica ou aristotélica, não apenas a maior parte (Lc 14:33); devemos abandonar nossa velha maneira de viver, não meramente corrigir nela algumas leves aberrações (Ef 4:22); devemos ser uma criação totalmente nova, não simplismente uma versão reformada (Gl 6:15) ; devemos ser transformados de glória em glória, chegando mesmo à imagem do Senhor – transparentes (2Co 3:18); nossa mente deve ser renovada por uma revolução espiritual (Ef 4:23).

MANNING, Brennan – Meditações para Maltrapilhos, pg 183 – Mundo Cristão

Vá e não peque mais

Joaquim Tiago

O que Jesus quer dos seus díscipulos? Culpá-los por agirem como eram, por seus erros?

Qual foi o ensino de Cristo com seus dicípulos? Que tipo de julgamento foi elaborado nas palavras do bom mestre para que seus seguidores mudassem suas vidas? A acusação foi o tom dos diálogos?

Os discípulos de Cristo sabem que os valores ensinado por seu Mestre não é um sistema de culpa nem mesmo de condenação.

O que você faz quando sabe que errou?

Convivemos diarimente com a culpa, o sentimento de erro.

Isso se transforma rapidamente em pesadelo e ficamos atorduados.

É neste momento que aparece um sentimento chamado remorso de remuer, de tortura psicológica. Por exemplo: quando nos fastamos com uma comiga bem gostosa a ponto de passarmos mal, logo vem aquela vóz nos dizendo – você exagerou mais uma vez! E essa voz não cala, a não ser que já houve uma calterização, uma permanecia no estado condenatório consciênte. Mas quando de fato já estamos bem mal e depois da voz não se ir embora, começamos a nos torturar e nos remoer nos culpando, nos remoendo atravéz do remorso.

Nos culpamos todos os dia e por vários motivos.

O que Deus quer de nós? O que Jesus quer dos seus díscipulos?

Aprendemos com Paulo em sua segunda carta aos Corintios no cap. 5.17 que Jesus foi a nossa culpa. Ele levou a nossa culpa na cruz e já não há mais condenação para os que estão ligados a Ele.

O que Deus quer de nós quando erramos e vacilamos não é nenhum tipo de culpa, condenação ou ficar se remoendo. Mesmo que normalmente venha todos esses sentimentos para quem possuie um superego ou consciência funcionando direitinho e algumas neuroses a mais.

Jesus Cristo quer de nós o ARREPENDIMENTO!

O arrependimento não é nenhum remorso, não é aquele o sentimento que fica se remoendo a vida toda até virar um vício louco. Como já disse meu amigo e companheiro de caminho, Chicão: “Fazer as mesma coisas esperando resultado diferente é insanidade”.

Temos que abrir a consciência para a mudança.

Arrependimento no grego é “metanóia”, significa mudança de mente, mudança de atitude interior, em seu uso original é a expansão da mente, da consciência. Trocando em miudos é a atiude de tomar consciência de algo e agir para que seja feito alguma coisa.

Na carta ao Romanos 12.1,2 Paulo novamente ensina sobre a sadia renovação mudando a maneira de pensar atravéz de uma atitude de sacrifício, um sacrifício vivo dos pensamentos que nos remoe na culpa e no erro.

Se não acontecer uma mudança não adianta somente o sentimento de culpa, a mesma não pode ficar sozinho, precisa do arrependimento.

E como mudar?

Logo depois da culpa e do remorso vem a dúvida e o medo e aqui é necessário algo fundamental – o amor!

Precisamos amar a Jesus Cristo e nesse amor viver o arrependimento. É a mudança rolando sem medo de mudar.

Deus não vai ficar fazendo medo em nós, Jesus não ficou com aquele discurso do medo com seus díscipuos colocando eles em dúvida, não é esse pensamento que quer de nós. A dúvida e o medo são as raízes profundas da ansiedade crônica.

Toda mudança começa com um passo, se você quer se deslocar de onde esta de os primeiros passos em direção oposta ao pecado, ao erro. Um passo já é uma distância a menos de onde você se encontrava.

Jesus Cristo não quer que tenhamos um sentimento de vergonha, errou meu amigo, agora é hora de mudar, de tomar uma atitude em relação ao que você fez e Deus vai lhe ajudar.

É preciso mudar, não gostamos muito de mudanças, tomamos mais atitudes que nos agrada e que gostamos e só agimos corretamente quando somos obrigado. Mas Cristo em nós é a esperança da glória (Gl 4.19), Cristo vive em nós essa é nossa esperânça.

Lembre-se: Não tenha medo de mudar, o amor vai lançar fora esse medo quando amamos a Deus mais do que a culpa.

Potestade no ar da minha cidade

Joaquim Tiago

Tem uma potestade dominando a cidade de Ipatinga.

Não precisa assustar, não estou fazendo a tal da “espiritualização” ou promovendo um esquema de batalha “espiritual”.

Quando digo ou até sinto que uma dessas forças do mal esta governando a cidade é porque vejo as mazelas em cada canto que passo. Já vi tempos diferentes nesse lugarejo poluído com cinzas do minério mineiro.

Potestade é uma palavra que significa: Poder, potência, força. 2. A divindade, o poder supremo. Existe também o Potentado que é: Soberano de um Estado poderoso. Isso vai dar em potência e poder. “O mal da grandeza é quando ela separa a consciência do poder.” William Shakespeare

Essa potestade que esta dominando a rica renda de Ipatinga, esta governando algo que não é deles, deveria ser de todos, pelo menos é para isso que se cobram tantos impostos. Estão esquecendo da população que agora sofre com a “falta” de recurssos dos básicos aos mais importante.

Os professores estão novamente em greve, os postos de saude estão jogado as traças. Uma construção caríssima aos cofres públicos municipal feita para oferecer cursos e assistência aos cidadãos em várias áreas do trabalho esta nesse momento abandonado em pleno centro. A biblioteca pública municipal extremamente desatualizada e esquecida, o que deveria ser um centro de cultura e conhecimento é um lugar feio e abandonado, sorte que ainda tem seus funcionários que amam o que faz e consegue dar luz para o lugar quase sem vida. Em cantos lixos abandonados, violência e descaso com praças públicas.

O que é pior nessa situação é constatar que em 20 anos (pelo menos ou mais) de potestade política, figuram os mesmos potestados. Não a nada novo e pelo que percebemos não haverá. O povo inerte não consegue enxergar e os que ali se aninham no poder querem sempre mais poder, poucas são as exessões.

E sabem por que eles precisam de tanto dinheiro assim? Para finciar suas campanhas para continuarem dominando as cidades do Brasil.

Onde fica esse lugar? clik.