Por: Joaquim Tiago Bill 

Abençoados para abençoar, se fomos chamados porque fomos abençoados.

Isso tem nos custado caro, mas custa sempre caro ser uma benção e abençoar. Nosso chamado cultural nos fez abençoador de um povo, cultura e nação.

Como existe uma regra de que só pode dar quem já tem e o que temos foi o próprio Pai quem deu, o que estamos fazendo é estar partilhando de maneira gratificante, mesmo sabendo de que quem foi abençoado não perceba e nem de o devido valor.

O que receberemos em troca?

Deus sabe dar boas coisas aos homens.

Então fazemos novamente a mesma pergunta de sempre:

Porque ainda fazemos isso e a resposta passa pela bondade de Deus. Nós mesmo não faríamos, já tinhamos desistido faz tempo.

Se fomos chamados é porque fomos abençoado pela bondade de Deus com seu rico depósito de dons para abençoar, Ele nos inspira e nos convida e motiva.

Quem faz negociando esperando receber algo em troca não faz por Deus, porque Deus já nos deu exatamente o que precisamos para expressar quem somos. Não queremos sofrer o prejuízo, mas quem vai nos prejudicar quando nosso depósito se completa.

O mundo não e sustentado pela vantagem ou pelo prazer individualista, isso é ilusão onde muitos trafegam cansados, o mundo é sustentado pelo sacrifício, pelo que morre para gerar uma nova vida, como uma semente que cai na terra e se não morrer não germinara outras sementes.

Essas são as bem aventurancas de quem se aventura por meio da fé, damos um belo salto no escuro acreditando que existe um grande braço para nos acolher na queda. Quem não tem fé tem medo e prefere todos os lugares comum, até uma religião comum que não cause transtorno no que estamos acostumados a ouvir e fazer. Quem tem medo sabe que pode fazer e o que pode ser feito mas nunca vai se arriscar pois pode perder a própria vida, a liberdade condicionada que lhe faz um crente “normal”.

Meu Deus onde esta sua graça nessa vida? O que nos fará melhor e a vida valer a pena? Desde quando ser bom se tornou ruim, se tornou antiquado? O que os seres humanos querem ganhar afinal de contas, porque as contas do mundo esta acabando, o amor esfriando, o sofrimento afastando.

Quem ainda não foi abençoado por Deus experimente ficar 10 min. sem respirar já dizia alguém, além do ar ele nos capacitou e nos uniu, nos fez seu corpo e proclamamos quem Ele é atravéz de quem nós somos.

Lembro da “Festa de Babette”, uma história clássica, escrita pela dinamarquesa Karen Blixen, sob o pseudônimo Isak Dinesen, narrada logo no início do livro Maravilhosa Graça de Philipe Yance. Yance observa que a graça vem livre de qualquer pagamento, como a festa proporcionada pela talentosa conzinheira Babette aos moradores pobres de uma aldeia de pescadores do litoral da Noruega, festa esta que foi custeada pela própria Babette com dinheiro que ela acabou de receber por ter sido contemplada atravéz de um bilhete de loteria premiado, tornou-se um evento inesquecícel naquela comunidade, por uma verdadeira graça imerecida porque não fez nada para receber o presente.

Assim é a graça de Deus, quando ela toca a música nós dançamos alegremente (mesmo na chuva), mas como bem disse Marcos Almeida (Palavrantiga) no show de 15 anos do Grito (Comunidade Cristã Grito de Alerta), citando um trecho da música do Roberto Carlos, “pena que os homens estão surdos!”

Fomos chamados para abençoar, o que custou caro para Jesus Cristo não custou nada para nós a Graça Maravilhosa. Obrigado por não se esquecer de nós Deus, e como Paulo o Apóstolo já disse: “…sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles a quem ele chamou de acordo com seu plano.” (Rm 8,28) e não somente esse acontecimento de nos chamar, mas também o de nos separar para sermos semelhante ao seu Filho, o primogênito entre muitos irmãos da mesma família, e se não fosse o bastante o que para mim já é, o Pai em seu amor eterno chama novamente os que estão separados “Assim Deus chamou os que havia separado. Não somente os chamou, mas também os ACEITOU; e não somente os aceitou, mas também REPARTIU a sua glória com eles.” (Rm 8,30)

Não pare a música, “eu sou casa e Ele habita em mim” (PA), vamos continuar o baile porque a graça superabundou.

 Dedico esse texto ao Grito pelo seus 15 anos, 8 anos como grupo missionário e 7 como comunidade local do Corpo de Cristo. Não somos a maior igreja e nem a melhor, mas com certeza fomos e seremos abençoados por Deus, CHAMADOS para abençoar sempre tribos, povos e nações.

vídeo feito no dia do show:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s