Vê o mundo com outros olhos e viver com outra natureza

“O melhor esconderigo a maior escuridão,

Já não serve de abrigo já não dão proteção”

Eng. Hawaii

Quem nunca se sentiu iludido ou desiludido como Neo no filme Matrix dentro de uma grande máquina sugando toda a nossa vida? Quem nunca sentiu que esta sendo enganado ou desenganado por um sistema que nos aliena, nos rouba valores, inclusive monetários? Quem nunca sentiu que não vai da certo, que a esperança que nos oferecem terá um preço bem alto preço e nos manterá viciados. Quem nunca sentiu o fim e que ele esta próximo?

Quem nunca sentiu que essa vida quase não tem sentido? Que a existência esta sob falência? Que o medo e a angústia tomou conta de todos canais de comunicação e que estamos entregue aos prazeres para tentar disfarça nosso desespero, nossos medos? Quem já percebeu que as promessas da modernidade falhou e que os avanços ciêntificos não trouxe a evolução e o mundo perfeito? Quem já não viu que nossa condição humana se tornou muito mais estranha e que nos entregamos como indivíduos as nossas próprias desordem sem saber o que somos?

A grande máquina, a grande ordem, a nova ordem mundial, o deuses deste século tem cegado o entendimento das pessoas e a existência se tornou um fardo pesado de mais para carregar. Rotina, trabalho, trânsito, escola, formação, ônibus, dieta, silicone, estética, decisão, paixão, ganhar dinheiro, comprar um carro, pacote de turismo, sangue, doença, aids, câncer, comidade instantanea, falta de tempo, inveja, ódio, inimizade, concorrência, desordem, violência, crack, cocaina, cachaça, cigarro, mal educado, glutão, afobado, estress, gastrite, o pulso ainda pulsa, a gente não quer só comida, a gente quer a vida, rock´n roll, sexo, sexo, sexo, masturbação, novela das nove, homossexual, aquecimento global, natureza em falência, época dos estremos, político ladrão, governo corrupto, quem é que vai pagar por isso, levando vantagem, mundo caido, ansiedade, neurose, absesssão, aflição, aflição, aflição, aflição, tende bom animo…

Quem não esta imediatamente necessitado de alívio? E como já disse o poêta “O melhor esconderigo a maior escuridão, Já não serve de abrigo já não dão proteção”, não adiante se esconder, como Neo diante da escolha dada por Morfeu, como Alice em um buraco, esta na hora de acordar deste sono indolente, ter coragem e enfrentar a verdade a ter uma atiude que dê liberdade, que dê Alívio Imediáto. Chegou a hora de vêr o mundo com o outros olhos vivendo outra natureza.

“O justo viverá da fé”

Alívio Imeditao também é um forúm que terá sua abertura no dia 24 de março com o seguinte tema: Angústia, sofrimento e paradoxos da nossa geração. O convidado para palestra e abordagem do tema é o pastor Geraldo que também é jornalista, escritor e pesquizador da área. Abertura será 15h no Grito, Av. Guido Marliere, 1170 – Jd Panorama com Iguaçu – Ipatinga.

Pessoas Estranhas

O que é a natureza humana?

Na mais simplis definição, é algo muito estranho.

A natureza humana é dotada de paixões, vontades, pensamentos, vícios e desordenanças, mesmos os mais doutrinados, mesmo os mais reconhecidos de zelo.

Capazes de amar e odiar ao mesmo tempo em alguns segundos, preparados para construir e destruir o mundo e a pessoa ao lado, tão capaz de se amar até se destruir por completo.

Naturalmente que ao longo da vida fomos apredendo maneiras de se esconder, maneiras de disfarçar quem somos. Somos especialistas em formas da camuflagem com nossos adereços sociais bem aceitos. Naturalmente vamos mal.

Quem de fato somos para saber o que de fato queremos?

Estranhos nesse jogo do poder e da aceitação, estranhos para cada um, falamos a linguagem que convem, a que vende mais, a que nos tornas cooparticipantes do diálogo em que precisamos de aceitação. Estranhos e perdidos em mundo sufocado por imagens disfuncionais, ilusão de ótica, ilusão natural quem não revela o que é essa natureza confusa.

A humana natureza é o humano longe, bem longe do seu criador, é esse espelho em que me vejo e que religiosamente posso ver muitos outros que se esconde de quem é em um pano de fundo que lhe da aval para parecer quem deseja ser, mas nunca foi.

O que faço para ser aceito socialmente, quando sou cobrado moralmente em uma ambiente de estranhos, naturalmente escondidos nos costumes culturais que me da um ingresso que comprei?

Eu finjo que sou bom, começo acreditar que realmente sou uma pessoal muito boa, até me orgulho da bondade que a mim, vinda de mim mesmo, posso até abrir uma concorrência com Deus.

Uma natureza adâmica, um precedente de pura independência, de pura vontade própria por que agora sei os caminhos que devo tomar, já sei o que devo fazer pra assim aparecer no meio das estrelas. “Eu tenho o poder porque eu me salvei de não ser tão ruim, de não ser pecador como os que vejo por ai”.

Essas pessoas estranhas tem o prazer de zelar pelos bons costumes e se deliciar pela desgraça de quem os não pratica, do tipo: “bem feito filho pródigo, quem mandou você gastar tudo com a mulherada, com a vida e com os farristas.”

Pessoas estranhas que no mesmo momento em que dizem hosana ao rei já mudam o coro e dizem crucifique esse bastardo louco que fica comendo com os cobradores de impostos. Naturalmente estranho ter medo do preconceito, não ser aceito e o pior não se aceitar de fato. Quem não se aceita se cobra, como cobrará ao outro, geralmente não com a boandade que prega, mas com a maldade com que julga.

Quem somos nós?

“Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?” Romanos 7:24

Precisamos mudar de natureza e não muitas vezes de religião.

Alguém como eu

Com tantos evangelhos em “crescimento”, com tantas notícias acerca do que seja a “boa mensagem”, com tantas verdades sendo outorgada e debatida, é necessário uma decisão.

Não vou cometer o erro de Maria e José perdendo Jesus pela multidão a fora, esquecendo-o para trás caminhando junto com a procissão voltando pra casa.

Vou ficar com Jesus Cristo!

Ele realmente é a VERDADE e a boa notícia da VIDA que me levará pelo CAMINHO correto.

Ele é o filho do homem, o verdadeiro filho de Deus, meu novo Adão meu primogênito entre muitos irmãos, meu docê evangelho.

“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas.
Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas.”

 
João 10:9-15