Para que orar?

daniel-na-cova-dos-leoes

 

Então disseram ao rei: “Daniel, um dos exilados de Judá, não te dá ouvidos, ó rei, nem ao decreto que assinaste. Ele continua orando três vezes por dia”.
Daniel 6:13

 

“As coincidência ocorrem quando eu oro”.

Daniel se viu derrepentemente envolvido problematicamente em uma cilada justamente por causa da sua disciplina e ela mesmo serviu para que seus amigos invejosos tramassem sua derrota.

De tão disciplinado na prática da oração e na maneira como voltar-se a Deus em seus horários para dobrar os joelhos  com direção a Jerusalém, sua dedicação lhe trouxe problemas. A permanência na ação serviu de motivo para a constatar desobediência ao decreto perverso (leia Daniel 6). Daniel nem quis saber de outro motivo que não fosse estar diante de seu Deus, o verdadeiro e continuou assim mesmo.

Se orar por três vezes ao dia é sua prática a exemplo milenar, orando assim teve como resposta naquele primeiro momento ser lançado em um ninho de leões, condenado a morte de forma bem inusitada para ser comido por feras esfomeadas, além do exílio de sua terra que já vivia. Interessante que rei também teve fé, gostava tando do seu ministro que espera Daniel ser livrado no mais explicito momento de sua vida de disciplina e fidelidade ao seu Deus.

Ore sempre, faça uma prática, mesmo que ela possa causar mais problema por sua fidelidade como foi com Daniel, porém dentro da cova e entre os leões dessa vida você sobreviverá, caso contrário você pode esta servindo de alimento as feras deste mundo poderoso de inveja e idolatrias individuais.

Joaquim Tiago

31/07/13

Uma igreja que ninguém vê

Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo. Efésios 4:4-7 

Se você quiser assistir um culto agora ou domingo não terá nenhuma dificuldade, em tempos de bandas largas fica fácil assistir “igrejas” funcionando, você nem precisa frequentá-la, sentar ao lado do irmão(a) “chato” se é que você o vê. Basta ligar a televisão e o “pastor” esta lá, pelo menos falando. Você pode acessar via internet vários cultos, via smartphone, iPad e demais tranqueiras. Vários pastores e suas variáveis idéias e mensagens em inúmeras visibilidades, inúmeros possessos de informações pelos ares.

Vejo que há dois caminhos contemporâneos que a igreja evangélica tem tomado nos dias atuais, pelo menos quanto organização, dos quais um é do entretenimento gospel e que esse seja da moda vigente e o outro é o da prosperidade e auto-ajuda, o positivismo, os dois andam juntos porque entretenimento e moda custa caro e tem que ser “bem” gerido. Pastor bom e visível é de organizações assim, são esses que dão exemplo, “eu sou cara da riqueza”.

É caro um show e não sou contra ser feito, já ajudei organizar vários, só não é tão viável para igreja que conheço. Fica caro uma boa iluminação, uma máquina de fumaça, cadeiras macias, televisão com transmissão ao vivo e internet, ar condicionado central ou espalhados, roupas sacerdotais alinhadas, ficar pagando de santo sucedido, e tudo o que uma boa casa de show possa pedir e para que o evento não pare e as pessoas não desanimem.

Nesses casos é necessário manter o cliente satisfeito, mesmo que isso não faça diferença nenhuma na vida diária e nem na hora de fazer sua mudança, o negocio é ele sair com o mesmo sentimento de quem foi ao shopping com seu ar condicionado central, música ambiente baixinha, atendentes sorridentes sempre prontas a lhe oferecer o melhor, da forma que puder e cumprir sua metas numéricas celulares, depois vem a ceia do McDonalds ou Bob´s e ainda quem sabe um chopinho gelado escondido ou sex shop gospel pra quebrar as regras.

Nestas organizações tudo é muito importante se os indivíduos faz uma ótima compra e aqui igrejas também sustentam marcas como de negócios, como franquias.

Eu vejo uma igreja que ninguém quase vê, eu assisto gente sofrendo quase todos os dias, mas ninguém me vê e ninguém quer saber de sofrimento de ninguém. Oramos por sofrimentos, compartilhamos sofrimentos diários na mesa de suplicas. A noiva de Cristo sofre, sofre muito, homossexuais sofrendo a dor de ser rejeitados, missionários que vendem o almoço pra comprar a janta, festivais que lutam contra corrupção feito com tudo reciclado, amigos sofrendo porque perdeu emprego e outros porque gastou o que não tinham, pais que  querem cuidar da família, companheiros que lutam contra o vício compulsivo da pornográfica, do consumismo, da cocaína, do álcool e de não ter que dar uma porrada na cara do patrão, acompanho casos de brigas feias de se ver e muitas outras situações que não serão transmitidas pela vias de divulgação de uma “boa” organização, pode queimar o filme. Porém nesses anos de ministérios o que mais assisto em algumas situações é a profunda hipocrisia de quem é santo bem sucedido em tudo, uma maquiagem linda que se desfaz como a de artista da Rede Globo após a novela. O ruim de igreja que se vê, é vê que somos pecadores, o ruim de nos vermos, são as pessoas lhe conhecerem de perto, diferente de igrejas de longe.

Existe uma igreja que ninguém quer ver, mas ela esta lá, mesma se fantasiando, se iludindo com todo entretenimento para se ver de outra forma!

Prefiro ver a noiva de Cristo em Cristo que também sou igreja que me vejo.

Joaquim Tiago

24/7/13

O que nos faz forte?

“Por último, quero recordar-lhes que a força de vocês deve vir do imenso poder do Senhor dentro de vocês.” (Efésios 6.10)

 

Quando não tenho mais forças, se é que já tive, vejo a fraqueza de vontade e da vontade de parar. Sou forçado a reduzir os passos e olhar la no fundo do coração e fazer a seguinte pergunta: ainda existe coragem para ir a frente, para dar mais um passo?

Como tirar força de onde não temos, se é que já tivemos alguma? De mim mesmo acredito não sair alguma coisa de boa vontade ou algo tão forte, a verdadeira força é o amor. O que tenho de bom é o que não tenho de mim, o que é em mim tem maior do eu possa ser, se eu for assim, não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim (Gálatas 2.20).

Não teremos forças, não saberemos perdoar a si mesmo, se aceitar e vencer o mal no dia da angústia. A escola de Deus pode passar pelo sofrimento que nos aperfeiçoa gerando esperança e junto um caráter moldado na experimentação do valor, da vida, do significação. Depois da grande luta, da terrível batalha quando olharmos em nós, com que força continuaremos? A que sempre foi; vem do imenso poder do Senhor que esta dentro de nós, no Espírito Santo que nos fala: “Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.” (Isaías 41:10)

 Joaquim Tiago

17/7/13

“Por último, quero recordar-lhes que a força de vocês deve vir do imenso poder do Senhor dentro de vocês.” (Efésios 6.10)

“Quando persisto na oração, reconheço um interlocutor que assume a outra parte do diálogo, uma espécie de alter ego interior que representa o ponto de vista de Deus. Quando quero vingança, esse parceiro me lembra do perdão; quando obcecado apenas com minhas necessidades egoístas, impressionam-me as necessidades alheias. De repente, percebo que não estou falando comigo mesmo nesse diálogo interior. O Espírito de Deus está orando dentro de mim, comunicando-me a vontade do Pai. ‘Meu segredo é muito simples: eu oro’, escreveu Madre Teresa de Calcutá.”

Philip Yancey – ORAÇÃO, Ela faz algum diferença?

O dia de enfrentar as forças do mal

espartanos lutando

“Por isso peguem agora a armadura que Deus lhes dá. Assim, quando chegar o dia de enfrentarem as forças do mal, vocês poderão resistir aos ataques do inimigo e, depois de lutarem até o fim, vocês continuarão firmes, sem recuar.” (Efésios 6.13)

A promessa e a profecia é que um dia todo joelho vai se dobrar diante o Senhor, mas até esse dia chegar nestas aflições, teremos o mundo. Depois que Adão resolveu conhecer o bem e mal por sua conta e risco, logo a frente tivemos um homicídio entre irmãos, Caim matou Abel porque teve inveja, de la pra cá não mudou muito as coisas, o individualismo adora o poder e esse apenas foi sofisticado no iPhone. Com o advento da informática e internet o poder foi distribuídos entre os que tem acesso para compartilhar e curtir.

A meu entender as forças do mal opera todos os dias que pode, o dia de enfrentá-la é o dia em que aqui vivemos. O progresso não para, ele esta produzindo o “futuro” da humanidade com a humanidade, construindo sonhos destruindo outros, explorando todos recursos possíveis para que se possa garantir a tão sonhada felicidade de cada um. Não estamos preocupados com o mal que podemos causar, desde que se garanta a sobrevivência. Se o progresso explora recursos humanos e naturais e nessa interpolação de valores alguns já não se renovam mais, este tipo de negócio é sempre a parte e que cada um saiba se proteger, que cada um pense em si mesmo, mesmo fingindo que esta ajudando a garantir o futuro do outro como em um plano de saúde.

Hoje é o dia de enfrentar a força do mal que posso causar a mim. Com que proteção posso enfrentar as forças dos outros que eu mesmo causei? A rede social não nos fez compartilhar e nem curtir nada, só nos condicionou a tudo isso, a decisão fica por nossa conta e as possibilidades por conta de quem provoca, eu estou provocando, mas existem outras provocações também. Basta cada dia o seu próprio mal, existe um mal estar nessa civilização dominada por uma condição de vida que não consegue enxergar o próprio mal que esta causando a si mesmo. Mundos paralelos no mesmo mundo, o seu corpo muda de lugar se você muda de vontade, as condições podem mudar se soubermos conhecer a verdade e lutar até o fim para ficar firme.

A exemplo do dinheiro de plástico, as realidades do mal não é virtual e os danos são profundamente reais!

Joaquim Tiago

16/7/13

A flecha que voa durante o dia

chuva de flechas

 

“Em cada batalha vocês precisarão da fé como escudo para deter as setas ardentes disparadas pelo Maligno contra vocês.” Ef 6.16

 

Somos o alvo, pintaram um grande alvo em nosso peito, somos as chance de um sistema da certo e de um planejamento estratégico para nos tornar a vítima do que pode ser a meta estabelecida para que o vendedor de sonhos alcance, por isso ele esta correndo para garantir também o seu sonho. A melhor arma, a ponta mais certeira de quem lança suas armas é a dúvida, ele diz – você realmente precisa e você sente medo de não ser realmente o que deve ter para ser. A aljava do arqueiro esta cheio de dúvidas e seus dardos são vários e flamejantes.

Se você não esta pensando em nada, lógico, alguém vai pensar pra você. Uma coisa que os arqueiros gostam é de gente que não pensa, não planeja, não se disciplina e vive olhando e comparando as coisas, essas pessoas não consegue perceber o grande alvo no seus peito. Pessoas que não tem razão para viver, apenas vivem e deixem viver, alvos fáceis de mais, uma verdadeira alienação de quem se é e quando resolve ser já foi acertado por um dardo, uma flecha que lhe garanta uma solução presente e satisfatória até acabar, até o a próxima dúvida e o próximo lançamento “satisfação garantida, obsolescência programada” (Eg. H.). As flechas estão voando durante todo dia (Sl 91.5), e a morte não é você baixar uma sepultura qualquer, mas não ter vida vivendo em si mesmo garantindo sua permanência existencial em um sistema que sobrevive de sua inexistência.

“Hoje tem guerra, amanhã também, me preparo pro fronte, eu oro a paz” (P. Antiga), batalhamos todos os dias e não podemos perder essa guerra, a luta é grande e muitas vezes bem maior do que podemos imaginar, você tem que se preparar para tomar a decisão certa, certeza só para quem tem fé e esse é o escudo de quem acredita permanentemente. Sem fé é impossível agradar a Deus já dizia o apóstolo, sem fé também é impossível resistir a tantas flechas que voam durante o dia (Sl 91.5). Contra nós elas são ardentes, mas contra elas nosso escudo é ver pela fé que vendedor de sonhos também esta sonhando e quem esta dando esse sonho é maligno. Tire essa dúvida do seu peito, não seja um alvo fácil, uma mira desejável, como já dizia o poeta: “ande com fé, porque a fé não costuma falhar!”

 

Joaquim Tiago

15/7/13

Você precisa ir na igreja!

andorinhas

“Procurem de todas as formas conservar, por meio da paz que une vocês, a unidade que o Espírito dá.” Efésios 4.3

Ir, estar, participar, ser, variações de uma mesma missão, do mesmo estilo de vida, prática necessária no caminho a caminhar. Que diferença isso faz?

Como já bem disse o então Papa Francisco e que fica de lado aqui nossas diferenças teológicas, segue a idéia, igreja não é uma ONG apesar de ser social, a igreja não é uma organização apenas organizada humanamente, apesar de se instituir e viver também como uma instituição, a igreja é a assembléia reunida e ali deve estar o corpo do nosso Senhor Jesus Cristo quando é a pedra fundamental, é Ele mesmo e sem ele não há vida, fora Dele e deles, as coisas vão muito mal e pode piorar a cada dia.

Existem muitas comunhão dentro do sistema dominador no mundo de trevas, à eucaristia na mesa do sistema, na mesa do consumo, na mesa da franquia, na sala de jantar numa fria sala, existe eucaristia nas arquibancadas e em volta de outra situações estranhas, porém e muito porém, fora da comunhão com Cristo e seu corpo, nada, digo nenhuma coisa é relativo e muitos ficam doentes e outros já se perderam (1Co 11).

Uma andorinha sozinha não faz verão e uma andorinha fora do bando não encontra o sol, pode ser até divertido e comodo não voar junto e sofrer junto com seu bando, porém fora Dele e com eles, você não vai pousar e descansar na mesma árvore da vida e além do mais, ninguém vai substituir seu lugar, não é só você que precisa deles, eles também precisam de você para a vigem ser melhor.
Volte para a igreja antes que a viagem termine e você perca a comunhão final e fique apenas com a de outros que também não foram.

Joaquim Tiago
12/07/13