Fé X Ilusão

Medo

Nosso maior inimigo é o medo. Qual o contrário do medo?

Coragem? Não! Com a coragem enfrentamos o medo. O contrário (o outro lado) do medo é a fé.

O medo é fruto da dúvida. O medo pode ser fruto da dúvida e sempre vai colocar nossas certezas em prova.

Deveriamos ter todo cuidado com a dúvida quando nossas maiores certezas são colocadas a prova, e a todo momento nossas maiores certezas são colocadas a prova, a dúvida nos acompanham por toda uma vida adulta e dai só nos resta uma saída – enfrentá-la ou se entregar e temê-la.

Se temos muito medo, ele nasceu de uma grande dúvida e pode nos controlar, se quizermos vencê-lo teremos de ter muita coragem – acreditar!

A coragem é a fé em ação, só tem coragem quem tem fé, fé na vida que Deus nos deu.

Nesse mundo indiferente a tudo se perdermos a fé poderemos tudo. Perder a fé é não perceber muita coisa em nossa volta, como a própria vida, porque tudo perde o sentido de ser.

Para os que acreditam a fé em Deus é o sentido da vida e da existência mesmo depois de morto. Não há nada pior do que viver com medo, viver controlado pela anisiedade, o medo do futuro e de tudo, isso é realmente viver sem sentido.

Se exite uma fé, uma certeza que é inabalável (Efésios 4), Deus em seu filho é autor do grande significado da existância, o mesmo Deus de Abrão, Issac, Jacó e tanto outros que testemunharam durante toda história dos milagres que viveram da fé como na carta aos Hebreus cap.11. Essa fé é fruto do relacionamento e conhecimento de Deus.

Já oviu o ditado – “Na dúvida não ultrapasse” – quando você esta nesta dúvida o que te leva a ultrapassar? Com que certeza você vai processeguir? Quem vai te dar coragem para continuar o caminho?

Para ter animo para processeguir é preciso ter coragem para enfrentar todas as dúvidas e essa só virá da certeza que temos no autor da própria vida, de nós mesmo não haverá muita confiança, já erramos uma vez – lembra do Adão? É necessário muita fé, alimentar a fé e conhecer seu aultor, “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11,6).

Ilusão

O maior porblema da atualidade é que estamos confundindo a fé com ilusão, fé com paranóia, fé com uma ceteza humana, vontade de Deus com a nossa vontade. Confundimos fé em Deus com a ilusão de que as coisas que queremos e desejamos são a sua vontade.

Somo colocados sobre a prova da dúvida e do medo e quase sempre por Deus mesmo e ai tomamos decisões muito erradas, confundimos a fé no mercado e em nós mesmo com a fé em Deus, nessa dúvida ultrapassamos sem certeza ou ficamos paralisado com medo e desanimo. Temos mais fé no deus errado e não no Deus verdadeiro, dai uma frustação muito grande e uma grande confusão.

Qual foi a ilusão de Adão? (Gn 3,4)

Porque não ter o conhecimento que vem de Deus?

Desde o início da humanidade a grande ilusão de Adão foi ter fé (conhecimento) que não viria mais de Deus, mas de si mesmo. No engano da diabo que gerou dúvida em seu coração foi querer conhecer o bem o mal por conta própria e não mais de Deus. Querer ser igual a Deus e ele não foi criado para tal aventura.

Até os dias atuais vemos pessoas que insistem nesse caminho, não anda por revelção, pela vontade de Deus mas por conta própria na ilusão de que sabemos o que bom para nós. Não vejo muitas escolhas boas para nós nessa sociedade.

A ilusão de que se compra felicidade.

Porque não ter fé que já temos a graça e o presente de Deus?

Porque achar que tudo que precisamos esta fora de nós e não dentro de nós?

A felicidade é a grande atração do mercado, ficamos felizes quanto estamos gastando e achamos que vamos levá-la para dentro de casa dessa forma até o próximo ato de consumo. No mercado nosso conhecimento é transformado em dúvida que é gerada em nós sutilmente quando vemos pessoas muito felises dirigindo um carro super novo na propaganda, pessoas alegres tomando uma bebida e possuindo um aparelho novíssimo de mídia social. Se não temos, não possímos quem nós somos, os excluídos mais infelizes dessa paranóia compulsiva, com lidar com essa frustação, ou compramos ou nos drogamos para aguentar a separação social.

Não se compra felicidade, mas o dinheiro manda buscar a ilusão, mesmo pagando em prestação e ficamos com censassão de que agora até a última novidade seremos mais aceitos pelos outros e por nós. Felicidade não é algo ou um lugar, é o estado do espírito, uma estado de ser mesmo em meio a sofrimentos.

Essa ilusão vai gerar uma dúvida maior e nunca um fé que nos fassa realmente feliz com a vida que temos ou somos.

Não existe felicidade que não seja compartilhada, ninguém é feliz sozinho e o que Deus nos oferece e nos da é para ser compartilhado, sempre. Na ilusão de ganhar essa vida vamos perdendo em todo tempo, perdendo a vida em favor de compartilhar quem somos vamos encontrando seu real significado com coragem e amor.

Se o firme fundamento da fé para os que creem em Deus é esperar Nele (Hebreus 11,1) o desafio (“inimigo”) da fé é a ansiedade, esse medo subjetivo de esperar.

Como vencer o medo? Coragem, colocar essa fé em ação!

Mas como ter fé e coragem?

Fé e coragem é para quem ama, por que o verdadeiro amor lança fora todo medo! (I João 4,18)

Quem ama acredita e não tem medo de sacrificar-se.

Quem não duvida vai em frente com coragem mesmo que custe sua vida como custou a de Cristo por nós. Cristo Jesus não teve medo de nos amar e para ele não foi uma ilusão, compartilhou conosco todo seu amor e vida.

Com toda certeza Ele vai voltar e é essa é nossa maior herança, mesmo enfrentando todas adversidades dessa vida junto com os temores diários Ele e nos dará nova vida e é nossa maior esperança.

Joaquim Tiago

Decisão ou emoção?

Um culto racional é um culto onde temos consciência do que estamos fazendo, não depende apenas das nossas emoções mas das nossas decisões (Romanos 12, 1). Acredito que decisões contém emoções, mas decisões não podem ser feitas com emoções.

Decisões partem da fé, da convicção, do conhecimento de Deus e do que acredito para toda a vida integral.

Estou cansado de ouvir pessoas dizerem que não sentiram nada para ofertarem sua vida e tudo o que se é a Deus. Sentiu o que meu filho(a)? Sentimentos não são decisões e variam a todo momento. Existem especialistas em marketing que manipulam pessoas pelos sentimentos e emoções, é só você ficar acompanhando propagandas e quantos sentimentos não vão surgir, quantos desejos. Assistir apresentadores de programas como Caldeirão (do inferno) para acompanhar histórias e se emocionar – o Brasil esta repleto de gente sofrida.

O que nós fazemos com toda a nossa vida foi porque assim decidimos conscientemente ou inconscientemente sentindo.

Mesmo que em muitos momentos não estejamos se sentindo bem podemos tomar nossas decisões, ou sendo emocionalmente afligido pela perseguição de uma cultura desgraçada (sem a graça) podemos sermos consciente de quem somos e o que queremos.

Ninguém que é disciplinado fica procurando emoções para fazer dieta, no início o grande sentimento é de muita fome e ai tudo parte da decisão equilibrada, o corpo tem que acompanhar, o organismo recebe o comando e vai ter que se habituar.

Uma pessoa (todos nós) que tem uma natureza pecaminosa infelizmente não vai sentir vontade de não pecar e nem ser emocionalmente contagiado por um vontade profunda de fazer o bem (Romanos 3,23), ou você muda juntamente com/na ação do Espírito Santo e toma uma atitude de salvação, de ser salvo para a vida, ou você será sempre enganado por si mesmo. Arrependimento é mudança de atitude e não remorso ou o que chamamos de peso na consciência.

Cuidado com seu sentimentos, principalmente o de vítima das circunstância, cuidado com suas emoções, você pode esta sendo enganado, sem consciência, decisão e fé é impossível agradar a Deus (Romanos 1,17).

“Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece.” (Filipenses 4:12-13)

Joaquim Tiago
(23/11/2013)

“A felicidade esta fora da felicidade”

“A felicidade esta fora da felicidade”
(Livro do Desassossego – Fernando Pessoa)

Ainda acreditamos na felicidade tal como um evento, ou em dia encontrarmos ela em algum lugar divino e distante.
Talvez no fim do arco-iris exista esse pote de ouro – quem já foi lá? Talvez esta na compulsão ou no desejo (sempre) compulsivo moderno quando alcançado, isso até a próxima compulsão.
Qual a diferença em estar feliz e ser feliz?
Difícil encontrar a existência de uma diferença no mundo de tantas diferenças e tantos desejos, verdadeira confusão.
O estar é passageiro como essas linhas que lê, esta aqui e depois vem outra informação, o ser quando espiritual é eterno, mesmo não estando em em algum lugar “feliz” ele é, vai sendo.
Quando é que estamos sendo verdadeiros consigo mesmo?
Nos engamos com alegrias e achamos que somos felizes, mas foi só anúncio de comercial. Essa tal felicidade vendida e barata é mentira!

Ser feliz esta fora da felicidade.
Ninguém é feliz para si e se completa sozinho, mesmo que seja duro e sacrifical ter que dividir o estado por que vai sendo a vida.
Já dizia o sábio: “a felicidade não é onde se quer chegar, mas como vamos indo.”

“O dia bom é um convite para comemoração;
O dia ruim é um chamado a reflexão.
Os dois têm de Deus o seu lugar devido
Para que saibamos que nada esta garantido.”
(Eclesiastes 7,14)

Joaquim Tiago
(21/11/13)

Chamado, prática ou teoria?

jesus curando o cego

 

“Assim como me enviaste ao mundo, eu os envio ao mundo”  João 17, 18

Teoria é conhecimento e conhecimento espiritual é fé. Fé é o conhecimento das realidades espirituais, aquilo que não se vê mas crê na sua existência trazendo para existir. (Hebreus 11,1).

Coragem é colocar a fé em prática, é ter atitude e sem medo exercer e acredita.

Disciplina é praticar com ordem, com conhecimento e organização.

Quando tomamos conhecimento ou nos é revelado um entendimento e não colocamos em prática o que nos falta é coragem, atitude. Quando agimos com entusiasmo sem ordem, desorganizado, correndo o risco de dar errado o que nos falta é disciplina.

Infelizmente nós criamos uma distância e diferenças entre teoria que é o conhecimento e a prática, principalmente nós os ocidentais, o que pode fazer do conhecimento teórico algo inútil correndo o risco de morrer até o próximo conhecimento ser colocado.

“A fé sem obras é morta!” (Tiago 2, 18-20) – Nós falamos que temos fé, mas qual o resultado da sua fé, o que ela tem produzido? Será que esta faltando coragem, atitude e nela disciplina? Visão daquilo que deve ser feito e como deve ser feito? Fomos salvos mediante a maravilhosa graça de Cristo para realizarmos as boas obras. (Efésios 2,10)

 

1. Como foi feito o chamado em Cristo?

A transformação do conhecimento em prática. O chamado de Cristo aos seus discípulos foi feito pelo caminho, caminhando com fé ao encontro dos que criam (Lucas 5, 1-12).

Já havia muitos discípulos que vei das caminhadas de Cristo, que já estavam seguindo Jesus, porém o Mestre separa para si um grupo íntimo, os 12 vocacionados, os 12 discípulos (Lucas 6, 12-19).

Pelo caminho Jesus chamou Mateus (Mt 9,9-13). Ele era judeu com nome judaico Levi. Trabalhava para si mesmo prestando serviço ao governo de Roma. Seu trabalho era uma concessão pública e era muito rendoso. Por causa de seu trabalho era desprezado e odiado por seus compatriotas. Jesus o amou, presenteou com uma grande salvação. O chamado de Cristo a Mateus o fez deixar seu serviço para dedicar a sua nova vocação (se é que podemos chamar de vocação). Já outros discípulos continuaram com sua vocação/dom, mas sendo discípulos e onde estavam fizeram sua contribuição, veja Nicodemos.

O chamado de Nicodemos (João 3). Nicodemos converte, mas não é um apóstolo, continua sua profissão e faz sua contribuição universal como discípulo. Nicodemos era um Fariseu que, como “líder dos Judeus”, parece ter sido um membro do Sinédrio. Ele aparece três vezes no Evangelho de João. Nicodemos é algumas vezes identificado como discípulo secreto de Jesus ou como um que representa aqueles que tinham falta de fé suficiente para o apoiar abertamente. Jesus quando estava de noite, veio quando era dia, trazendo consigo generosas quantidades de especiarias para ajudar José de Arimatéia a preparar o corpo de Jesus para ser colocado no sepulcro e fazendo publica seu discipulado. Mesmo não sendo um apóstolo deu sua contribuição de discípulo e de chamado.

Você deve deixar tudo que te impede de ser um discípulo de Cristo, porém você pode ser um discípulo de Cristo em inúmeras situações inclusive trabalhando, prestando seu serviços.

 

3. A teoria e conhecimento em Cristo (João 17, 6-12)

Em Lucas 10 Jesus coloca seus discípulos a prova e a prática, ele envia 70 deles para irem e repetirem sua prática com fé. Esse conhecimento era passado de forma teórico e prática em todo tempo, o talmidim tinha que comer da poeira dos Rabinos como discípulos tinham que andar com Cristo em toda parte vendo- realizar todos os milagres e sempre orando.

Uma igreja de Cristo é feita de discípulos de Cristo que vão alcançar outros discípulos de Cristo. A coragem no chamado esta na prática do discípulo de Cristo.

O que é um discípulo?  “Um discípulo é alguém que crê em tudo que Cristo disse e faz tudo que Cristo manda.” No contexto do Novo Testamento não existe ninguém que seja convertido e não seja um discípulo. Convertido, salvo, discípulo, são todos termos que se referem a uma mesma pessoa, sendo que, cada termo salienta um aspecto diferente da vida ou experiência desta pessoa. Quem é discípulo de Cristo obedece ao seu Chamado.

 

4. “A grande omissão na grande comissão”

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. (Mateus 28:19-20)

Por que vivemos uma grande crise da igreja e muitos estão se tornando tão desigrejados? Estamos assistindo a grande omissão na grande comissão, na inversão das polaridades. A primeira ordem de Cristo foi para fazermos discípulos dele/para e assim nos reunirmos como comunidade/igreja da melhor forma para os discípulos terem comunhão e nela o partir do pão, oração e conhecimento do Senhor. Vivemos o contrário, nos omitimos em sermos discípulos e em alcançar outros discípulos para construirmos igrejas sem eles ou discípulos de um programa ou de uma instituição.

“É um erro trágico pensar que, ao partir, Jesus estava nos dizendo para começarmos igrejas, conforme a definição desse conceito nos dias de hoje. De tempos em tempos, pode ser apropriado começar uma igreja. No entanto, o objetivo de Jesus para nós é muito mais amplo que isso. Ele deseja que estabeleçamos postos avançados ou bases de operação para o reino de Deus onde quer que estejamos. É desse modo que a promessa de Deus a Abraão — de que por meio dele e de sua descendência os povos da terra seriam abençoados (Gn 12:3) — é levada a seu cumprimento. O efeito externo dessa vida em Cristo é uma revolução moral perene, até que o propósito da humanidade na terra tenha se cumprido. (…) Devemos enfatizar que a Grande Omissão da Grande Comissão não se refere à obediência a Cristo, mas, sim, ao discipulado, ao aprendizado com ele.”WILLARD, Dallas – A grande omissão; Ed. Mundo Cristão

O que nos falta não é tempo, vida e conhecimento, o que nos falta é coragem, atitude, a mesma que ouve em Cristo Jesus que mesmo sendo Deus esvaziou-se da sua Glória vindo a ser servo, tornando-se humano, foi sua hora de humilhação (Filipenses 2,5-8).

Joaquim Tiago, 19/11/13

Você esta ouvindo o chamado?

chamado 01

 

Não ficarei mais no mundo, mas eles ainda estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, protege-os em teu nome, o nome que me deste, para que sejam um, assim como somos um. (João 17:11)

O chamado só se faz completo quando quem ouve a voz de quem chama atende. Não sei se você já teve a terrível experiência de chamar alguém e não ser atendido ou correspondido. Quando convidamos alguém, uma pessoa para uma boa situação e não se tem retorno nos sentimos no mais simples dos sentimentos como quem foi rejeitado.

A voz que clama nem sempre são as vozes ferozes que devora toda audição neste mundo que nos fala quanto estamos perdidos. A luta é saber discernir em meio a tantas informações e desejos, qual é a voz que tem somente palavras de vida eterna.

Existem situações dos que já ouviram e resistiram e dos que um dia atendeu mas voltou a trás, abriu mão do ser chamado. Quando verdadeiramente ouvimos é difícil também continuar, nunca será fácil e custará sempre a vida de quem resolver não preservar a sua. Se você mesmo ouviu mas preferiu preservar a “preciosa” vida, neste momento já esta perdendo-a.

Em nossa comunidade logo pela manhã de domingo, acompanhado de um delicioso café e compartilhando a palavra, Osmar (pastor), nos trouxe um entendimento sobre Jesus, que é luz mas que agora não esta neste mundo (João 17, 6-12), porém sua missão continua e esta foi passada a todos os discípulos que serão sal nesta terra e com o azeite queimando em candieiro, figura do Espírito Santo, iluminará respondendo a voz de Cristo.

O noivo voltou ao Pai e nos deixou o Espírito Santo que esta queimando e ascendendo a chama desse candieiro vivo que somos.

A luz continuou brilhando, neste mesmo domingo pela noite em comunidade, a voz nos chama novamente. Francis (bispo) compartilhou que o mesmo noivo que um dia foi vai voltar. Lendo Mateus cap. 25 vemos que o Noivo contou-nos uma história, uma linda ilustração da tradição hebraica de como será seu retorno para o casamento, para resgatar sua noiva. O noivo deixou claro que vai chegar no meio da noite, no meio dessa escuridão, e para sua noiva ficar alerta. As virgens prudentes sabendo de tudo sempre tinha óleo para ser queimado, o noivo parece que demorou mas no meio do caos ouve-se a voz de um amigo gritar bem alto: “Ele está aqui! O noivo está aqui! Saiam para recebê-lo!” As virgem loucas e imprudentes também escutou o chamado mas não tinham azeite, não tinha luz e ficou sem casamento, ficou sem o resgate. Mesmo depois tentando arrumar azeite já era tarde, no meio de tantas trevas só foi possível ver as que eram luz, as que tinham o candieiro aceso.

Escute bem! O Senhor esta te chamando, chamando você no meio da sua comunidade, não resista porque um dia no lugar do chamado haverá um julgamento, não transferia sua responsabilidade e não se faça de vítima, não fuja porque todos neste mundo estão fugindo e ninguém encontrou o caminho. Não seja como uma noiva ou uma virgem louca, você esta correndo risco de perder o casamento. O Espírito Santo esta em sua vida e quer fazer de você uma luz. Se você esta ouvindo, não resista ao chamado tem muitas pessoas precisando da sua ajuda, te esperando.

 Joaquim Tiago

O secularismo do leve e trás

Não vejo em si um mal presente no secularismo, também nunca fui tão asceta, tão monástico, tão “separado” e nem quero. Porém fico observando o leve e trás entre os dualismos religiosos que criamos, como se fossemos duas pessoas ou vivêssemos em mundos com ambientes tão separados, neste caso o da igreja e do “mundo”.

Pensemos no seguinte – quem leva para vida cotidiana “hipermoderna” a vida (de Cristo) cristã, leva a igreja/corpo até lá, para a sociedade até mesmo como sua missão, casos raros convenhamos, coisa difícil de se ver constantemente, só quando esta em apuros ouvimos um “ai meu Deus”. Quem faz o caminho contrário, de lá trás o mundo, a sociedade com seus infinitos percalços, erros e injustiças que se confundi e se disfarça entre os rituais, esses se tornam só práticas inofensivas e uma forma de aparecer e se livrar da cobranças de sua própria consciência religiosa.

É bom saber diferenciar esse leva e trás, o que não deveria ser nada diferente para nós e sim uma vida só, mas o cerimonial litúrgico, a ritualização e campanhas de vitórias pode nos ensinar a esconder o que trazemos para o altar o que levamos verdadeiramente para a vida.

Muita gente já desistiu da igreja por perceber essa discordância, mas não desistiu de Deus e muitas pessoas já desistiram de Deus e ainda não percebeu, acredita religiosamente que esta realizando sua vontade. Cuidado, tempos difíceis estão por vim!

“(…)ostentarão a aparência de piedade, mas desdenharão a realidade. Dessa gente, afasta-te! (2 Timóteo 3:5)

 

Joaquim Tiago