Alguém que nos corresponda não é um animal que nos diverte

Lembro-me quando Adão estava no paraíso trabalhando, rodeado por animais, dando nome e relacionando com eles e com o próprio Deus, mesmo assim ele se sentiu só.

Em um olhar cuidadoso viu que não havia alguém que lhe correpondia, que fosse seu igual, sua metade. Então o Senhor Deus declarou: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda”. (Gênesis 2:18).

Agora no ano de 2014 (depois de Cristo) o homem/mulher (ser vivente) se encontra rodeado por pessoas que lhe corresponda bem ou mal, e mesmo assim se encontra num profundo esvasiamento existêncial porque não quer corresponder e ser correspondido e acaba se voltando para os animais e as plantas (nada contra desde que não substitua o que é correspodência dos seres).

Os motivos da crise existêncial são as mesmas e as mesmas desculpas – “é a mulher que o Senhor me deu, é a covardia de Adão em não ser homem.” – Agora querer voltar a ser morador do Éden e ficar substituindo correspondência humana, relação de iguais por animais não vai resolver solidão nenhuma!

Um cachorro, um gato ou outro bichinho pode até nos alegrar e apredender dizer boa noite, bom dia, eu te amo, papai, mamãe, mas não tem idéia ou consciência nenhuma do que esta fazendo a não ser porque foi adestrado e quem acredita que ele possuie esses sentimentos ta precisando ir a um psiquiatra rápido e sair do Éden infântil, crescer para se tornar adulto.

Necessidade de relacionamento todos nós temos, relacionar com animais como Adão é muito gostoso, da trabalho mas é legal, mas correspodência no que nos falta humanamente é só com seu igual/diferente e que ele seja parecido com Cristo, caso contrário, Deus vai continuar te vendo só, mesmo lhe dando alguém para lhe corresponder a altura.

Joaquim Tiago
(05/01/14)