O ministério da injustiça

Источник http://goo.gl/K5OTU6

Equidade é a busca de igualdade, da justiça e distribuição de direitos, mesmo para os que não têm. O uso da imparcialidade para reconhecer o direito de cada um, usando a equivalência para se tornarem iguais. Equidade é uma forma justa da aplicação do direito, porque é adaptada a regra, a uma situação existente, onde são observados os critérios de igualdade e de justiça.

Iniquidade é uma grave injustiça, a iniquidade é injustiça de um pecado. A iniquidade nasce do tratamento desigual aos indivíduos e a desigualdade nasce na busca do próprio interesse em detrimento ao outro. A iniquidade ao contrário da equidade busca seus próprios direitos e os interesses como uma justiça própria.
Porque a iniquidade tem aumentado muito?

E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. (Mateus 24:12-13)

Sobrevivemos dentro de um sistema onde é cada um por si e o deus da meritocracia por todos. A iniquidade aumenta quando a equidade vai diminuindo. Nesse sistema mundano e diabólico a iniquidade aumenta porque a grande maioria aprendeu desde a infância a lutar e disputar buscando seu direito e seu interesse em detrimento ao outro.

Ter direitos é comum e é justo, o direito faz parte das ciências sociais que estuda as normas obrigatórias que controlam as relações dos indivíduos em uma sociedade. O direito deve caminhar pela grande via da justiça.

O que é ser uma pessoa justa e com equidade? Quem pode nos ensinar sobre a verdadeira justiça, a moral e a ética?

Precisamos do maior exemplo de justiça e do modelo mais prático, o Mestre da justiça, o justo e justificador Jesus Cristo. Cristo é o justo que viveu pela fé (Romanos 1,17) e a fé foi o que o justificou, Cristo é a nossa justiça e a salvação esta em ser também aquele que não ama a sua própria vida, porém por amor entrega em favor do outro. Cristo é a justificação dos que são salvos não como um ídolo para ser tatuado, mas como a condição de vida dos justo que também levam sua própria cruz. Cristo nos ensina a ser salvos da injustiça deste sistema e viver a justiça Nele salvando-nos de si mesmo para amar. A ética do o Reino de Deus é que, aquele que busca seus direitos irá perdê-los, mas quem buscar o direito do outro encontrará a justiça.

Deus estabeleceu um Reino de Equidade com seu filho nos dando direito a vida porque o salário do pecado que é a iniquidade é morte. A iniquidade produz a morte, mas equidade salva vidas.

A multiplicação da iniquidade tem feito o amor de muitas pessoas se esfriarem e outros a perderem a fé que também é a esperança, a iniquidade busca uma injustiça individualista, narcisista e egoísta, onde muitos já não sabem mais o que é ser um humano, um homem e uma mulher que não se prostitui. Ou voltamos a Cristo e descobrimos que a fé nos fará pessoas justas obedecendo a vontade do Pai, ou viveremos experimentando o gosto amargo da injustiça buscando cada um a sua justiça particular.

“Não suporto os encontros religiosos de vocês. Estou cheio dos seus congressos e convenções. Não me interessam seus projetos religiosos, Seus lemas e alvos presunçosos. Estou enojado das suas estratégias para levantar fundos, das suas táticas de relações públicas e criação da própria imagem. Não suporto mais sua barulhenta música de culto ao ego. Quando foi a última vez que vocês cantaram para mim? Alguém aí sabe o que eu quero? Eu quero justiça — um mar de justiça. Eu quero integridade — rios de integridade. É isso que eu quero. Isso é tudo que eu quero.” (Amós 5:21-24 – A Mensagem)

Joaquim Tiago Bill
(25/11/14)

Anúncios

A religião das nossas carências

carencia

Todo ídolo é produzido pelas nossas carências, todo ídolo é um produto das grandes e pequenas carências. Quando surge são devotados com culto e uma religião.

Vivemos em meio a ídolos e carências por todas as partes e com isso surgem várias religiões com seus variados cultos. Se olharmos mais perto o sistema produz carências existenciais e dão os ídolos para serem adorados como respostas afetivas em um grande mundo de ilusão. O sistema sobrevive à base de exploração, então produz carências culturais e vende os ídolos para serem cultuados.

Vivemos em um mundo repleto de religiões e de crenças que não param de crescer, um fenômeno que surpreende a muitos. Fruto de tantas carências e com tantos ídolos onde cada um tem uma solução para responder a busca nas necessidades existenciais.

Religiões como a do álcool, do sexo, da academia, do iPhone, do patriarca coronel, do apóstolo cacique, religião da preguiça, da inveja, do ódio, do ego, da beleza e da estética e muitas outras no panteão das divindades hipermodernas.

Para cada religião um culto ou um sincretismo religioso entre cultos variados onde são pedidos os sacrifícios pessoais e comunitários. Existem ídolos que pedem crianças para o grande altar, pedem um rim, pedem todo seu dinheiro, pedem que negocie a mãe, o pai e quem sabe os irmãos.

Como a história pode confirmar existem muitos ídolos de si mesmo, são crentes e estão em algumas igrejas, mas adoram a si e se satisfazem atendendo as carências de sua idolatria pessoal querem ser cultuados e buscam seus desejos sacrificando quem tiver de ser sacrificado.

O Eterno, Pai de Jesus Cristo não é o Deus das nossas carências pessoais, o Eterno não é um ídolo e nem esta fazendo negócios com o homem. O Eterno não esta pedindo sacrífico, pois seu filho já o fez por nós e nesse caso todas as nossas carências necessárias já foram resolvidas e é ai que esta a salvação Nele. O Eterno requer de nós o que Paulo escreveu em Romanos 12, 1 e 2, o culto racional que é a renovação da nossa mente, um verdadeiro sacrifico da nossa vontade, de natureza e possivelmente vai contra todas nossas carências pessoais e terrenas, é uma transformação da nossa natureza.

Sua fé não é para mudar a vontade de Deus em relação a sua vida e necessidades, a fé é para mudar a sua vontade em relação ao Deus verdadeiro, em relação as nossas vontades, ao próximo e ao mundo.

“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:1-2)

Joaquim Tiago Bill

19/11/14

Onde você esta?

perdido

Quando Deus pergunta ao homem (Adão, Gn 3) onde esta, trata-se da sua identidade na perspectiva do relacionamento.

Qual a nossa identidade? Ela esta liga diretamente ao nosso relacionamento com Deus e com nosso próximo. Ou ligada ao outro tipo de relacionamento sem sentido.

Quando estamos em crise de identidade, vivendo nossas crises existenciais, estamos longe e fora do nosso relacionamento com Deus. Deus sabe quem somos, conhece nossa natureza e como já disse Davi: “Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos.” (Salmos 139:1-2)

Quando nos perdemos de Deus nos perdemos de si mesmo e do outro, não sabemos quem somos e nem onde estamos. Quando estamos em crise existencial e espiritual tentamos nos escondendo nesse jardim social, tentando se esconder do Criador da existência.

Uma crise nos leva a outras crises maiores porque tentamos responder nossos anseios e ansiedades com tudo que seja do nosso governo e com os próprio interesse, respondemos com consumo, vícios e bobagens.

Onde esta você no seu relacionamento com Deus?

Jesus nos mostra o caminho de volta. Relacionar com Deus é ORAR!

O que é a oração? Meditação, falar com Deus e ouvir Ele falar conosco.
Hoje todo mundo tem uma coisa para fazer ou um monte de coisas para resolver que não responderá nem de longe a sua crise, mesmo sendo um grave problema financeiro.

Você se vê ocupado de mais e cada vez mais insatisfeito consigo mesmo e com tudo, mesmo fazendo esse tanto de coisa que tem para resolver.

Jesus Cristo tinha A Missão mais Importante do mundo e ele orou, em Lucas capítulo 4 o Espírito Santo o leva ao deserto para meditar e orar, no capítulo 5 o Mestre orou para escolher seus discípulos, no capítulo 9 Cristo orando tem seu rosto transfigurado, no capítulo 11 Ele ensina a oração do Pai Nosso, capítulo 22 depois de cear com seus amigos e discípulos vai como de costume relacionar com o Pai em oração no monte das Oliveiras vivendo um dos momentos mais difíceis da sua vida antes do sacrifício na cruz.

Se você esta vivendo sua crise e nela esta incansavelmente buscando neste sistema a resolução que de sentido a sua existência, infelizmente você foi convencido a crer numa propaganda enganosa.

Quem sabe você nessa crise esta até mesmo se escondendo da comunidade e de Deus? Só existe um caminho, Jesus Cristo o fez no relacionamento com o Pai e esse só é pavimentado pela ORAÇÃO e MEDITAÇÃO.

Volte hoje mesmo!

“Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração.” (Romanos 12:12)

Joaquim Tiago Bill
(4/11/14)