linhas-cruzadas

O que é mais importante, o destino ou a viagem?

Geralmente quando começamos uma viagem estamos totalmente preocupados com o destino, principalmente quando estamos acostumados com a viagem.

Quando você sai da sua casa e vai para o emprego e passa sempre pelo mesmo lugar já sabe aonde esta indo e por onde passar, seu objetivo é chegar ao trabalho sem atraso e para esse fim não podemos perder tempo, praticamente já saímos atrasado. Queremos chegar o mais rápido e para tanto qualquer coisa que atrapalhe o destino pode ser considerado um problema, até mesmo uma velhinha querendo atravessar na faixa do pedestre. Já fiz por vezes a tranquila viagem de Ipatinga para Belo Horizonte na locomotiva da Vale do Rio Doce, quando entravamos já sabíamos que ia demorar, o trajeto é feito em média de 10h a 11h de viagem entre as paradas em cada estação. O destino fica bem mais longe pelas curvas de Minas Gerais e suas paisagens. Qual melhor maneira de não perder literalmente a paciência e ficar ANSIOSO? Curtir a viagem e as paisagens. Toda viagem tem os seus processos e percalços.

A nossa vida é uma grande viagem, uma passagem pela existência com todos os seus significados, mas como na rotina de ir ao trabalho sem “perder” tempo ou como passar pelo lugar que já trafegamos várias vezes, já não prestamos atenção na paisagem, já não prestamos mais atenção no que esta a nossa volta, nos processos e percalços, no caminho estamos fixados no final e no destino que pretendemos. O que esta acontecendo conosco e porque estamos cada vez mais ansiosos? Vivemos preocupados e concentrados nos destinos e perdemos toda a viagem da vida. Muitas vezes erramos até o sentido da existência e como ela esta sendo conduzida porque não prestamos mais atenção no caminho, na caminhada que fazemos.

Cuidado com o destino, ele é importante, mas não é mais importante do que a viagem, do que o caminho e o caminho só se faz indo, caminhando. Idealizamos o destino e nos prendemos a ele e fica mais sufocante e ansioso quando fica mais longe e mais distante. Como agiremos nas circunstâncias do caminho? Como reagiremos se no caminho o pneu furar, o carro estragar, acontecer um acidente inesperado (da para esperar acidente?), alguém for acometido por uma dor de barriga, se o dinheiro acabar, se vier à doença, se ficarmos desempregado, se a economia falhar, se alguém desistir, e se ela engravidar fora dos planos, seu avô morrer, sua avó estiver tratando de um câncer, alguém perde a memória, a música parar e a internet acabar? Como faríamos? Repentinamente todos planos teriam que ser refeitos. A única certeza que tenho bem certa é- não temos o domínio de todas as coisas e isso nos faz mais humanos e menos deuses dos destinos e da última palavra e ai é se Deus quiser mesmo.

Na vida o mais importante não é o destino, mas o sentido certo para onde estamos indo sendo assim, preste atenção na viagem porque se não você pega o caminho errado e só um intervenção para fazer seu orgulho parar e pensarmos como andamos tanto pelo lado contrário. Estamos morrendo de ansiedade porque estamos com olhos fixos no destino e não vemos mais a vida que esta na sua grande aventura da viagem e do caminho, olhamos para o destino e esquecemos de quem esta a nossa volta. Estamos com os olhos fixos e idealizamos a ilha da fantasia nos sonhos que criamos pelas nossas crendices. A ansiedade do destino final esta fixada na plástica já orçada, o último lançamento automobilístico, a igreja mais perfeita e mais completa, as férias dos sonhos, a casa sofisticada, a mulher dos sonhos (sonhos do playboy) e o homem “perfeito” (rico, branco e de olhos azuis, vai vendo) e vai por ai, implantamos o destino cheio de crendices e vamos passando por tudo e por todos como quem não quer chegar atrasado nesse emprego e que já sabemos muito bem como ir.

A vida não é feita com apenas com o destino e talvez ele nem chegue à nossa vida, a vida é feita pelo caminho e pelos processos que muitas vezes são muito doloridos de ser vivenciados. A fé em Deus de Jesus Cristo transformando a vida em um caminho mais feliz, tranquilo e de paz, menos ansioso e mais respeitoso. Os que viveram pela fé com registrado em Hebreus 11 não alcançaram seu destino, mas mantinham a esperança que é viva e deixaram o testemunho para toda a vida. Não troque o destino pela viagem. A felicidade não esta lá no final, ele esta em como nós estamos indo pelo caminho.

Fique alerta para não perde o verdadeiro SENTIDO e a motivação da viagem e para tanto saiba onde você esta indo. “O mundo não era digno deles. Vagaram pelos desertos e montes, pelas cavernas e grutas. Todos estes receberam bom testemunho por meio da fé; no entanto, nenhum deles recebeu o que havia sido prometido.” (Hebreus 11:38-39)

Joaquim Tiago Bill (09/12/14)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s