O descaminho

oleiro

Como podemos viver uma vida perdida acreditando que estamos salvo?

O profeta Jeremias teve muito trabalho e sofrimento com a casa de Israel em seu tempo, falar para um povo que não queria ouvir e anunciar a fuga e o descaminho que as pessoas e a nação havia tomado. Deus esta dando um juízo para o arrependimento e retorno ao caminho da vida, um concerto.

No livro de Jeremias, capítulo 18, encontramos a metáfora mais popular nas advertências ao seu povo, a figura de um oleiro trabalhando com o vaso usando a tradicional roda. O vaso nas mão do oleiro é seu objeto de construção, de formação e de criação, e todo vaso trincado e defeituoso é amassado para ser refeito. Este era o anúncio, seu povo é como o vaso na mão deste oleiro divino que pode com suas mão leva-lo para ser quebrado e amassado e ser refeito novamente. “Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.” (Jeremias 18:4)

Jeremias leva a visão para todos e adverte transmitindo o recado de Deus, pena que as pessoas respondem de forma ingrata, malvada e no descaminhando para suas crenças pessoais e auto dependência. No mesmo capítulo 18, versículo 12, se voltam para Deus afirmando ao profeta para não perder o seu tempo, o povo, as pessoas preferiram fazer o que o próprio coração deseja. Vamos seguir nossa vontade e não de Deus.

Deus através de Jeremias esta produzindo um conhecimento e uma iluminação na forma de pensar e objetivar a vida.

O que é a salvação?

Salvação não é apenas participar de um evento e experimentar o poder de Deus. Salvação é ter relação com Deus , é estar em relação com Deus via seu ao acesso do filho e a ação do Espírito Santo.

Toda relação por mais complicada que seja e com as pessoas que conhecemos vai mexer com nosso entendimento e transforma nossos pensamentos, a relação com Deus muda nossa vontade e consciência e é o que nos salva, teremos atitudes que vai nos salvar.

O culto conforme Paulo é racional, lucido e sacrifica nossas próprias vontades – Romanos 12.

Não é nossas crendices que produz a salvação, é a salvação em Cristo que desenvolve em nós a fé, o conhecimento de Deus e a sua vontade. Eu não serei salvo a partir do que proponho para Deus, eu serei salvo a partir do que Deus propõe para minha vida.

Quando é que o homem se perde e se desvia dos caminhos propostos por Deus? O homem se desvia quando passa usar a sua capacidade de acreditar – acreditando em si mesmo, tem suas crenças para fazer um plano de vida própria. A pessoa acredita tanto em si mesmo e em suas paixões que tenta converter Deus aos suas escolhas para estabelecer sua autonomia.

Deus não é um ditador de ordens, é um Pai em busca de relacionamentos como foi com Cristo.

Nós não caímos em comportamentos, não são os comportamentos que nos fazem cair, eles apenas denunciam a forma como pensamos e acreditamos na vida. Descaminhamos em pensamentos, desviamos em nossas vontades. Mudamos quando somos influenciados por outra fé, outra forma de conhecimento.

A fé não é uma regra ou uma lei, a fé é uma forma de conhecimento e de pensar como pessoas espirituais, a fé em Deus nos faz ver o firme fundamento das coisas que não se vê, nos faz enxergar o que foi criado e que veio da ordem de Deus, tudo que vemos veio do que não vemos, antes era o verbo, a ação e vontade de Deus e pela sua vontade Ele se tornou carne e habitou entre nós, a amor maior habitou entre nós e entregou sua vida por nós.

Por que deixar de relacionar com Deus? O que Ele quer afinal de contas?
Se você for o vaso e estiver na mão do oleiro, antes que essa relação se perca por conta de um trincado ou mal acabamento é melhor o amassar novamente e começar tudo de novo. Quem somos nas mão de Deus? Lembra de Jó? Como pode o vazo da ordens ao oleiro?

Vamos trincando, vamos descaminhando quando deixamos o relacionamento com Ele, com sua vontade e Deus não esta com um manual de regras para lhe ditar, Ele quer que você mude sua maneira de pensar.

Não descaminhamos da noite para o dia, desviamos aos pouquinhos, é com influência e muita repetição que vamos transformando nossos pensamentos e aceitando a nova regra do sistema. Se você já não ora mais, não tem mais prazer com leitura bíblica e tem dificuldades em congregar esse é um mal sinal do descaminho.

Nossos próprios caminhos cheio de seus rituais vazios não vai mudar o amor de Deus por nós, mas pode ter certeza que VAI DAR ERRADO, você vai se dar mal mais uma vez e no melhor das hipóteses, aceite ser amassado novamente para ser moldado nas mão do oleiro. Neste caso, não siga seu coração, ele esta mentindo para você, o coração do homem é enganoso.

A relação com a religião produzirá apenas um religioso, a relação com Deus formara uma nova pessoa e um novo entendimento da vida, esse é o caminho.

Joaquim Tiago Bill
(26/01/15)

Os números de 2014

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um comboio do metrô de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 5.100 vezes em 2014. Se fosse um comboio, eram precisas 4 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo