Ódio Social

cidades

“Não levo ninguém a sério o bastante para odiá-lo.” (Paulo Francis)

Quanto ódio gratuito distribuído nesses dias, às pessoas nunca foram tão do contra. O rancor ganha cada vez mais voz nas redes sociais, nas conversas entre amigos, nos bares, em filas, nas igrejas e nas ruas.

O que estamos odiando tanto? Você já se fez essa pergunta? O que nosso inimigo merece? Cadeia, ficar pobre, ter uma doença, morrer, ser humilhado, ser um perdedor, uma bela surra, terminar o namoro, separação do casamento, ser traído? Qual o desejo que domina nosso coração?

Esta acontecendo revoltas e pedidos de revoluções, inconformismos com as situações dos governos políticos, socais, religiosos, relacionais entre amigos e casais, revolta pessoal. Quanto ódio existe por trás de cada pedido de revolta e revolução? Dizem os especialistas que o ódio pode nos cegar. Não é fácil lidar com o ódio, com esse sentimento maldoso.

“O ódio é um sentimento intenso de raiva e aversão. Traduz-se na forma de antipatia, aversão, desgosto, rancor, inimizade ou repulsa contra uma pessoa ou algo, assim como o desejo de evitar, limitar ou destruir o seu objetivo. O ódio pode se basear no medo a seu objetivo, já seja justificado ou não. O ódio é descrito com frequência como o contrário do amor, ou a amizade; outros, como Elie Wiesel, consideram a indiferença como o oposto do amor.” (wikipedia.org/wiki/Ódio)

Na opinião de Sigmund Freud, o ódio é um estado do ego que procura realizar-se pela destruição do ser odiado.

O medo é a questão que perturba a mente tão maquiavélica, se tenho medo é melhor odiar e destruir a causa desse medo. Se não puder eu mesmo destruir para evitar ser incriminado pela moral vou usar as palavras, as redes sociais, as conversas de boteco, as fofocas espalhadas maldizendo a vítima. A opressão do dinheiro, fingir ser melhor que o outro, mandar para o inferno, isolar, ser indiferente, desejar o mal com todas as forças do coração, rir da desgraça alheia, tentar ser bem melhor que o odiado.

O sistema financeiro em que sobrevivemos trabalha produzindo medo, o medo de ser e de não ser, de ter e de não ter. O medo é fruto da dúvida e da insegurança e ai surge o ódio de quem é e de quem tem. Ser, ter, parecer e poder, elementos complicados em nossa existência produzido pela mídia que ampara o sistema formando a ideologia.

O amor pode vencer esse medo, o amor vence todo medo, quem ama confia. Mas amor é algo tão subliminar para um mundo tão materialista, o amor é algo tão subjetivo para um sistema tão objetivo, o amor é espiritual e as coisas desse mundo são tão reais. O fruto da violência é olho por olho e dente por dente, se te bateu na face devolva com força maior, se te agrediu verbalmente arrume argumentos que faça o outro ser pior. Quanto mais aumenta o mal, mais o amor acaba. O amor esta parecendo uma real utopia e um engano e aqui nessa terra os fortes sobreviverão, um mundo de meritocracia, darwinismo social, um sistema legalista. Para o sistema o certo é ir tomando a força, ir abatendo o inimigo.

Se você vive ligado nesse sistema e nesse mundo, infelizmente vai continuar com medo, inseguro e com ódio.

Sigo o mestre Jesus Cristo, eu sei que ele enfrentou todo ódio fruto do pecado que havia nessa terra quando aqui esteve. O ódio de Anás e Caifás que viram alguém questionar seus poderes e revelar o que é a lei de fato. Cristo enfrentou o ódio dos fariseus que o seguiam e investigavam sua vida para matá-lo, inventaram tantas coisas para difamá-lo a ponto de afirmar que operava por belzebu. O ódio de Judas, mesmo convivendo com ele tão próximo durante três anos teve a coragem de se vender para traí-lo. O ódio da multidão inflamada quando escolheram o preso Barrabás em seu lugar na crucificação.

Porque os lideres a as pessoas tiveram tanto medo de Cristo Jesus?

Jesus Cristo é a verdade, as pessoas tem medo da verdade! Temos medo de encarar a verdade! Verdade de quem somos de fato, do que temos e do que deveria ser.

Cristo sendo verdadeiro gerou insegurança e insegurança gerou o medo e o medo gerou o ódio. Tudo ficou revelado! Quem todos eram, quem somos e como devemos ser. Mas o mesmo Jesus é o caminho e a vida. O caminho de Cristo é o amor e o amor é contra o sistema e contra o eu, o amor em Cristo é real e mesmo sendo Deus viveu como homem e sofreu toda humilhação.

O mundo não precisa de (mais) ódio, o ódio não conseguiu resolver nada nessa sociedade e a história (mais que) comprovou esse fato, temos que encarar a verdade, é só com amor onde lançamos fora o medo.

Quem de fato é o seu inimigo?

“’Vocês ouviram o que foi dito: ‘Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo’. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos.” (Sermão do Monte – Mateus 5:43-45)

Joaquim Tiago Bill
(20/03/15)

Ler mais

O que você espera de uma igreja?

vitral igreja

Igreja é uma instituição e um nome com mais de dois mil anos de história e já sofreu todo desgaste possível nessa trajetória de sua vida. Atos dos apóstolos é o grande tratado do nascimento no movimento dos chamados cristãos, iniciado pelos apóstolos movidos pelo Espírito Santo que revolucionou e vai revolucionando até os confins da terra.

Paulo escreve suas cartas precisamente como um mestre corrigindo cada igreja em seus devaneios teológicos principalmente na matéria lei e graça, suas admoestações são clássicas e nos ajudam sempre. Na bíblia temos cartas de Tiago, Pedro, João e Judas. João na ilha de Patmos recebeu a revelação e escreveu sete cartas para sete igrejas na Bahia de Éfeso.

O termo igreja foi motivo de discursão e reacende o debate a cada tempo histórico. O que significa e o que é realmente a palavra Eclésia. Trata-se de uma assembleia importante, como se da essa reunião, sua forma e sua construção? Qual sua essência e sua necessidade, como se governa e de que jeito é a sua liturgia, maneira de cultos e rituais? De quem é a prerrogativa de ser a única igreja universal, de quem é o comando e forma verdadeira do que se é igreja? Porque tenho que estar nela, viver por ela e pautar minha meus hábitos por meio da igreja? É um longo estudo e um bom debate que foi mudando e muitas vezes se adaptando ao seu contexto histórico.

Para igrejas cristãs temos nossas variações como católico apostólico romano e católico ortodoxo, reforma protestante e igrejas reformadas, evangélicos históricos (Luteranos, Anglicanos, Presbiterianos, Batistas, Metodistas), evangélicos de origem pentecostais (Ass. de Deus), evangélicos de missão, comunidades independentes, comunidades alternativas e os neopentecostais que é uma grande variação e miscigenação de cultos, acontecem até um sincretismo religioso.

Desde o seu nascimento até os dias atuais temos uma vasta história e chegamos a um ponto em nossos dias onde estamos enfrentando uma verdadeira confusão de termos e de origem, sofrendo mudança em nossa identidade ou sendo uma organização muito maior do que seu organismo.

Quais as marcas ou os atributos de uma igreja?

Ouve sempre uma tentativa de saber e identificar quais são as verdadeiras marcas de uma igreja ou os sinais que ela deve ter para ser mesmo uma igreja. Os chamados pais da igreja definiram um grupo de quatro adjetivos considerados como características que descrevem as marcas distintivas da verdadeira Igreja de Jesus Cristo, sendo elas – una, santa, católica e apostólica. Essa crença é partilhada pela Igreja Católica Romana, Igreja Ortodoxa, Nestoriana, Não-Calcedoniana, Presbiteriana, Anglicana e demais do protestantismo histórico, que por vezes é chamado de Atributos da Igreja.

Estas características também foram dogmatizadas pelo Credo Niceno-Constantinopolitano, em 381, que professa: “Creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica”.

Os teólogos reformados divergiam quanto ao numero das marcas da igreja. Alguns falavam apenas de uma, a pregação da sã doutrina do Evangelho; outros, de duas, a sã pregação da Palavra e a correta ministração dos sacramentos e ainda outros acrescentavam a estas uma terceira marca, o fiel exercício da disciplina. Ficando entre convenções e deduções característica três atributos e característica que uma igreja cristã tem para se denominar assim – (1) a genuína pregação da Palavra de Deus, (2) o uso dos sacramentos de acordo com sua instituição e (3) a prática da disciplina eclesiástica.

O que você busca em uma igreja?

A resposta para os anseios espirituais da vida, amor, paz, comunhão, participação nos cargos, falar com Deus, ouvir Deus falando conosco?

Fazer os rituais necessários, ou enfrentar mais uma rotina que onde estamos habituamos tão bem como, louvor, pregação e avisos?

Em nossos dias assistimos pessoas que estão esperando da igreja e de seus líderes um milagre, uma cura para enfermidade, ou uma forma de prosperar, um alívio para o peso da consciência, resolver o seu medo de Deus e uma forma de negociar com ele e até uma posição social como tal como evangélico.

Se olharmos para nós o que você espera de sua igreja?

Deus, Amizade, ter uma religião e uma forma descolada de ser cristão, cumprir o chamado e exercer os dons. Uma igreja que nos caiba e que nos aceite como somos. A comunhão e o partir do pão. Nós queremos servir exercendo os dons e sermos edificados em Cristo através da comunhão.

As necessidades hoje são muitas, milhares, não somos mais como as pessoas da idade das trevas no período do feudalismo antes do iluminismo e do renascimento, não somos mais a sociedade que acreditava que a terra era o centro do universo e a igreja o centro de todo conhecimento da terra. Tínhamos medo de Deus e Deus estava em tudo abençoando o trabalho simples do campo. Havia uma teologia em que éramos mais místicos, mais temerosos dos castigos e dependíamos mais de Deus para o viver e a igreja participava de toda vida cotidiana, era a ética, a moral e as penitências. Não tínhamos respostas das tecnologias que nos falam a todo tempo.

Vemos as coisas de forma diferente, modernas. Se nosso olhar da igreja for conforme nossas necessidades, esperamos muitas coisas da “casa de Deus”. O que em geral as pessoas esperam de Deus e da igreja já não é o mesmo que muitos esperavam e desejam antigamente. Temos muitas necessidades e não poupamos nem Deus e nem a sua igreja para obter resultado, formamos muitas igrejas conforme as nossas necessidades contextuais. Muitas necessidades são exatamente as mesmas, mas hoje tem uma significação diferente e mais complexa, mais consumista.

Veja o que Paulo tem a dizer da igreja de Éfeso e a oração para sua real necessidade – Eféso 1:15-23.

O que a igreja espera de você?

Números de membros, quantidade de pessoas, dinheiro, serviço, que faça o que ela mande? Ela pode usar ainda o seu medo, sua família e suas carências.

A igreja espera que você compareça, demonstre sua melhor roupa e paute sua vida por ela em suas ideias.

O que a sua igreja espera de você? É muito mais cômodo para nós dizer o que a igreja deve ser o que esperamos dela. Difícil é entender que essa mesma comunidade de fé somos nós. Ela espera de cada um de nós ser o que desejamos que ela seja.

É muito fácil desejar uma igreja que ama, mas você esta disposto a amar? É muito fácil desejar e esperar uma igreja que ore e busque os milagres de Deus, mas você esta orando? É muito fácil falar que gostaria de ter uma igreja que não fizesse acepção de pessoas, com quem você escolheu ser parte?

A igreja não deve esta negociando com as pessoas sobre a prerrogativa de que se você fizer determinada coisa tal benção você vai alcançar, pelo menos a que representa Cristo e seu Reino nessa terra. Cristo já te abençoou, pela graça você foi salvo e agora é só colocar em pratica o que deseja que seja a igreja, porque a igreja espera as suas boas obras.

Veja o que Paulo tem a dizer da igreja de Éfeso e a oração para sua real necessidade – Éfeso 4:1-16.

Afinal, o que é a igreja?

“Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo.” (1 Coríntios 3:11)

O apóstolo Paulo usa três grandes exemplos na carta aos efésios para definir a igreja ou comunidade de fé em Cristo, ele compara a igreja um edifício, a um corpo e uma família onde Cristo é sempre a parte principal.

No edifício ele é a pedra angular (Efésio 2:20), no corpo é o cabeça (Efésios 4:15-16), na família Ele é o cabeça e líder (Efésios 5:22-24).

A igreja de Cristo na sua autenticidade esta edifica em Nele e não pode ter outro fundamento, nem de anjos, nem do homem. Cristo nos salvou mediante a graça para que façamos as boas obras, ele colocou funções dentro da igreja e do corpo. Não tem porque ser outra forma ou ter outro jeito.

Você não pode edificar a igreja no que você acha ou nos seus desejos e nas próprias vontades, planos e egoísmo. Não podemos olhar para as necessidades que temos vinda de fora para edificar a verdadeira igreja do lado de dentro.

O que você espera de uma igreja Cristã – Cristo! E que Cristo através do Espírito Santo espera de você?

Pois é por Ele, para Ele e por meio Dele que todas as coisas acontecem e foram feitas.

A Comunidade de Fé em Cristo esta cooperando com o Reino de Deus nos dias de hoje e historicamente. Acredita que a Comunidade também é/faz parte do Corpo de Cristo, é a comunhão dos seus membros onde Jesus Cristo é sua parte principal, o Cabeça conforme o ensino de Paulo (Efésios 4). Comunidade local existe como extensão da vida e ministério de Cristo onde sua ação e propósito é protagonizar o – “assim como o Pai me enviou ao mundo, eu também vos envio” (João 17.18; 20.21). A ação de Cristo junto a sua comunidade/corpo enviando e comissionando é para que numa cooperação presente com o Espírito Santo (João 16.5-15) aconteça e ela seja portadora da salvação, libertação e restauração.

Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Respondeu Jesus: “Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus. E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do Hades não poderão vencê-la. (Mateus 16:16-18)

 

Joaquim Tiago Bill

17/03/15

Para que serve o pastor?

pastor

“O ladrão só vem para matar, roubar e destruir. Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.” (João 10:10)

O ladrão quando invade um aprisco de ovelhas só pensa em matar, roubar e destruir. O pastor não precisa invadir, ele entra pela porta da frente e as ovelhas reconhecem a sua voz.

Quantas ovelhas estão morrendo nesses dias na mão de salteadores!

Jesus nessa comparação usa a figura mais simples e prática em relação à condução, cuidado, orientação e serviço dedicado a vidas – o pastoreio. Tudo muito diferente dos fariseus que os acusavam.

Qual o serviço de um pastor? Ele é como um homem do campo que trabalha levando para alimentar o rebanho e fica em vigília, após o dia guarda as ovelhas no aprisco, além de tratar as feridas, cortar o pelo e defender do ataque dos predadores, dos lobos.

Neste período de Cristo as ovelhas conheciam seus pastores pela voz e cheiro. No nascimento de um filhote o pastor colocava a ovelha em seus ombros para ir se acostumando e habituando com ele.

Jesus Cristo é nosso bom pastor. O bom pastor não trabalho pelo salário, ele da a sua vida pelas ovelhas.

Pastor não é um título, pastor é uma função, é o nome função e ele desempenha seu papel de orientação, cuidado e liderança. As ovelhas além de reconhecer a voz do pastor o seguem, vão após ele na sua condução e orientação.

Todo chamado e vocação custa uma vida e dura todo o tempo. Nosso Bom Pastor que é Cristo é o maior exemplo entre todos, foi à porta verdadeira, entregou-se, ele deu algo que ninguém poderia tirar e retomando o que é de Deus, sua própria dedicação.

Paulo cuida de um pastor no início das suas funções, ele aconselha e prepara seu filho na fé para liderar e dirigir um rebanho. São duas cartas com profundas considerações entre lidar consigo mesmo, lidar com a palavra e lidar com os outros. O desafio de Timóteo é saber que nos últimos dias tudo seria muito difícil – “Não seja ingênuo. Tempos difíceis vêm por aí. À medida que o fim se aproxima, os homens vão se tornando egocêntricos, loucos por dinheiro, fanfarrões, arrogantes, profanos, sem respeito para com os pais, cruéis, grosseiros, interesseiros sem escrúpulos, irredutíveis, caluniadores, sem autocontrole, selvagens, cínicos, traiçoeiros, impiedosos, vazios, viciados em sexo e alérgicos a Deus. Eles vão fazer da religião um espetáculo, mas nos bastidores se comportam como animais. Fique longe deles!” (2Timóteo3,1-5).

Como ser um bom pastor e enfrentar o ladrão e os lobos dentro desse contexto? Os que vêm para roubar, matar e destruir vão fugir. Os predadores vão farão um banquete. Os lobos e os ladrões estão por todos os lados e a atenção e vigilância precisa ser constante, sem medo. Tarefa nada fácil para mundo moderno onde as cercas são plurais, maiores e frágeis de mais.

Os ladrões tem voz de engano, não passa pela porta e pula o aprisco, saltadores. Para enfrenta-los a ovelha precisa identificar quais são as vozes que nos chegam aos ouvidos, quem fala e o que ele quer dizer. Um bom pastor você identifica pela tom, pelo chamado e como conduz seu rebanho para o cuidado.

Os predadores, os lobos, somente o pastor consegue perceber, as ovelhas não tem visão e função para dominar a situação. Os predadores ficam as espreitas, são manipuladores e pode surpreender quando surgem. O pastor tem que enfrentar ou fugir. Se for o ladrão invasor foge, o verdadeiro pastor fica e parte para luta, expulsa o lobo.

Se auto pastorear é a escolha de não ser conduzido e nem querer direção, voltar-se a si como seu próprio guia. Quem não precisa de pastor certamente sabe onde buscar alimento, sabe lidar com o ladrão e se defender do lobo, ou pelo contrário, já foi tragado por um dos dois. Roubo de memória, roubo de esperança, vida espiritual tragada e escravizada por lobos que se alimentam dos vícios.

Que papel você é nessa história? Não faça papel de vítima! Identifique o pastor, perfeito somente o bom pastor. Sem pastor tudo é risco, existem lobos que se vestem de ovelhas e está no meio do rebanho, como perceber? O lobo não gosta de pastor, mas pastores e lobos gostam muito de ovelhas. Existem pastores que são salteadores, ladrões que invadem a cerca, só querem roubar e destruir. Saiba identificar a voz do pastor e certamente ficará longe dos lobos e dos ladrões e poupará sua vida.

Joaquim Tiago
(02/03/15)