trono de ferro

Olhando para Deus que é justo – “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos.” (Mateus 5:6) – Como associar injustiça e obediência às autoridades injustas? Como obedecer ao Deus justo e as autoridades injustas? Existe autoridade justa? Qual foi mesmo a autoridade que Deus instituiu e para que serve?

Diante da afirmação de Paulo em Romanos 13, quais são as autoridades que ele esta se referindo para que as pessoas nesse período devessem obedecer e dar créditos?

Nesse mesmo contexto e período histórico (Entre 49 d.C. a 59 d.C.) o próprio Apóstolo havia sido acusado pelos judeus que o perseguiam e o levaram diante de Lúcio Júlio Gálio, o então novo pro cônsul da Acáci, Gálio entendeu que era um problema interno do próprio judaísmo, e não deu muita atenção, precedente esse que Paulo usou mais tarde para proteger seu serviço apostólico (At 28:30). A autoridade do governador romano em questão é importante para Paulo diante dos judeus para quem escrevia sobre lei e graça, essa autoridade deveria ser respeitada, principalmente em ali em Roma. “Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas.” (Romanos 13:1).

Acompanhando o contexto do texto, aproximando com mais atenção ao raciocínio de Paulo para os Romanos, vemos que o Deus de justiça é e quer uma autoridade que seja agente da própria justiça – “… É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal.” (Romanos 13:4b). Uma autoridade que NÃO seja para a justiça, não é agente do Deus que é justo e nem deveria ser chamada de autoridade. “… Pois é serva de Deus para o seu bem”. (Romanos 13:4a).

Quem teme a autoridade que é serva de Deus para a justiça são todos os que praticam o mal. Na prática do mal podemos incluir os pais, agentes públicos, políticos, religiosos e demais autoridades que não são servos da justiça e nem de Deus. “Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá.” (Romanos 13:3).

Servi a justiça para Paulo é bem mais uma questão de consciência do que uma atitude de medo da punição. A punição e o medo provavelmente não mudará nossa forma de pensar, a punição apenas gera o receio de ser castigado e não uma nova maneira de ser. O ser justo faz muita falta nesses dias onde existem abusos de poder e maldades gratuitas aos montes sem a consciência do que é ser uma pessoa justa ou agir com justiça. “Portanto, vivam com responsabilidade — não apenas para evitar a punição, mas por ser a maneira certa de viver.” (Romanos 13.5)

Deus é a autoridade e seu reino é de justiça, toda autoridade de Deus é feita com justiça, a justiça é a autoridade de Deus. A justiça de Deus não é a justiça dos homens. Deveríamos aprender a ser justo, o justo vive pela fé – “Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: ‘O justo viverá pela fé’” (Romanos 1:17). A fé é o conhecimento da sua vontade no que é bom e no que é mal. Deus é contra toda a injustiça pecaminosa do homem nessa terra e se fez justiça em seu filho por amor a nós. Todo poder da injusta não de Deus e será levada a autoridade que é Deus.

Lembram quando Jesus Cristo foi julgado pelas autoridades constituídas pelos poderes dessa terra? Primeiro ele foi levado ao Sinédrio pelos religiosos acusadores, depois ele foi levado a Pilatos governador da província da Judéia, depois Pilatos enviou Jesus para Herodes que estava lá pela Galileia, Herodes assustou com o réu em seus trajes simples pedindo ele para realizar milagre sem ser atendido, Herodes envia Jesus novamente para o poderoso Pilatos que lava suas mãos em um julgamento público e passa a escolha para o povo usando da democracia que fez justiça pela movimentação da crucificação sendo influenciados pelos os sacerdotes. O justo em frente a todas as injustiças, a autoridade esta com Cristo e ele escolheu se servo e sofrer a injustiça no favor de todos.

Segundo o especialista Poder é a faculdade de forçar ou coagir alguém a fazer sua vontade e Autoridade é a habilidade de influencia por quem se é e pela vocação e chamado do trabalho servido. Toda autoridade é reconhecida, diferente do poder que é tomado e muitas vezes pela força. Não reconheço no Pai de Cristo injustiça, reconheço em Deus sua autoridade, a justiça do seu amor.

A autoridade que vem de Deus é justa e a que não vem Dele não é da sua autoridade ou autorização. O que Deus constitui é o amor e ai ficamos com as ultimas palavras de Paulo no mesmo texto:

“Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei.” (Romanos 13:8).

Joaquim Tiago Bill
(16/04/15)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s