Para quem se desvia da vida

O que nos ocorre variavelmente é termos uma visão muito secularizada (sem Cristo) da igreja (aqui se leia como corpo de Cristo) quando dela fazemos uma adaptação do contexto em que tentamos sobrevivemos.

As pessoas que fazem parte dessa igreja quando exerce sua função no corpo já não é visto como o trabalho sagrado, por vias das funções religiosas nos seus rituais banais funções no corpo tornam-se sem valor, respeito, seriedade e contemplação eterna.

Quando perdemos o respeito e de ficar com o sagrado as pessoas consagra o efêmero, o hilário, o entretenimento social para esquecer a dor de existir sem esperança, existir sem a fé.

O temor é a sabedoria e desviar é ficar relativizando a vida.

“É impossível alguém ter sucesso – falo de sucesso eterno – sem ajuda celestial.” Evangelho de João 3.27

Joaquim Tiago Bill

(19/12/16)

Sentimentos ressentidos

arvore-seca-secando

Sentimentos vêm e vão, faz parte das emoções e dos temperamentos.

Ódio, alegria, tristeza, paz, dor, conforto, angústia, coragem, medo, saudade, rancor, paixão.

Ressentir é estar sentindo novamente, refazer os sentimentos, estar vivenciando sentimentos mais uma vez, mesmo que seja virtual, apenas na imaginação é a lembrança dos pensamentos. São eles bons ou ruins.

Ressentimentos vêm e insistem em ficar! Os que ficam geralmente são ruins, sentimentos de mágoas do passado, remoem o coração. Perturbam, machuca, vira doença emocional, se transformam em monstros, viram doenças psicossomáticas, fantasmas que aparecem em rodas de conversa, zumbis que levanta dos mortos para comer seu cérebro, lembranças malditas que aparecem no espelho refletindo sua alma amargurada, assusta e mexe com o orgulho e a vingança camuflada.

Ressentir e ficar sentindo novamente por longos períodos e anos, a mágoa ressentida pode ser sua tortura preferida de como doeu e como pode doer aquele acontecimento. Devemos ocupar a cabeça para não virar uma oficina de coisas ruins.

Existem cicatrizes que vão nos acompanhar pelo resto da vida, mas nosso olhar pode ser feito de forma diferente, temos lembranças que não precisam voltar, rancores que não precisam ficar gritando dentro do coração.

Ressentimentos não se curam com vingança, sentimento de auto-justificação não tem fim, a única chance é o caminho do perdão. Perdoar não é fácil e também não é esquecer, é lembrar e não remoer-se de ódio!

O perdão é um milagre de Deus feito pela graça para quem não tem condições de pagar, quem não tem condições de ser justo por conta própria, perdão é para quem não se justificado por seus atos. O justo agora ele vive da fé.

A correta justiça aplicada restitui todas as coisas necessárias e deve ser feita dessa forma pela ética e moral.  O que não tem como ser restituído será justificado pela misericórdia, amor e perdão, contudo esse é o caminho do milagre e da conversão. O caminho do perdão é o caminho do milagre divino da conversão em Jesus Cristo, nossa capacidade humana nesse quesito é muito limitada. Esse é o caminho do filho que pegou sua parte da herança, saiu pela vida e gastou tudo e não tinha mais como restituir seu pai, apenas o perdão poderia garantir sua entrada novamente na casa da família.

Cuidado com a amargura, ela pode criar raízes profundas e te derrubar da graça de Deus. Boas lembranças podem curar, mágoas e ressentimentos podem matar todo o corpo.

“Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus. Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos.” (Hebreus 12.15)

Joaquim Tiago Bill

(8/12/16)