coracao-de-flor

O amor é uma oferta, o amor é uma oferta e é gratuita, não espera nada em troca.

Quem NÃO ama nunca irá saber o que é ofertar, dar, oferecer sem esperar receber. Naturalmente que o amor é saber oferecer, ele é a oferta para suprir a necessidade. Todo amor é uma oferta e toda oferta para ser genuína é feita em amor.

Paulo escrevendo aos Coríntios em sua segunda carta, capítulo nove e versículo sete, anuncia em auto e bom som – “Deus ama quem dá com alegria, Deus ama o doador que se alegra com a doação”.

Tudo que é feito com/em amor não é feito esperando o que se pode ganhar, que retorno vai dar. Tudo que se tem na vida foi Deus quem deu para ser partilhado, Deus nos da á vida e quem não semeia não conhece a dádiva.

O coração é um órgão importante em nosso corpo, nele se realiza a circulação sanguínea, uma máquina divina. O coração é a base do funcionamento do sistema circulatório dos animais e seres humanos. Acreditava-se antigamente que o coração era o centro da vida, das emoções, consciência e pensamento, por sua grande importância para os seres humanos. O coração se tornou uma grande metáfora da nossa consciência e emoções.

 

A Lei do Amor

Existe uma grande preocupação teológica dos que querem escapar da fundamentação da oferta e dessa mesmo relacionado ao dízimo (10%). A argumentação mais explorada é que a prática do dízimo ficou na Antiga Aliança feita pela lei. O que ficou para a Nova Aliança e o que substitui a lei? A graça feita por amor ou o amor realizado pela graça.

Na Aliança de Deus feita pela Lei da consciência exterior instituída por Moisés, era separado do trabalho e produção 10% para administração dos que cuidavam do templo e ritos cerimoniais. Na Aliança feita pelo Sangue de Cristo, o que prevalece é o amor, os que amam e doam em louvor e adoração 100%. Por tanto Deus nesse momento ama quem pode dar segundo seu coração, isto é, segundo sua consciência da oferta como Cristo se ofertou e com alegria.

Dentro da ótica de Cristo é mais fácil ser consciente com 10% em disciplina para ajudar, do que fazer o amor acontecer 100% além. Não existe cálculo para amar, porque todo amor deve ser sem medida, ofertar o amor é dispor o que for necessário.

O grande risco de “segundo o coração do homem” é quando a o ser humano não se converte a Cristo, porque todo coração pode ser enganoso. Muitas deduções teológicas dizem que não precisa se preocupar mais com o dízimo, à lógica é correta desde que o amor tome esse lugar. Onde não a consciência do amor é necessário que a lei moral empreste a consciência exterior. Só é correto pensar dessa forma quando o amor que esta no coração domina a consciência! Se o raciocínio não for este o que sobra é apenas desculpas de quem não quer amar, se envolver e colaborar nem com 1%.

“Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.” (Mateus 6.21) Nesses dias de consumo elevado e irrestrito, a parte da consciência e coração que tem muita dificuldade de converter é o bolso, porque esta muito ligada ao tesouro da vida, de onde se espera o resultado para ser e aparecer. O bolso é a falsa credibilidade da garantia do futuro. Acredita-se muito no celeiro, no depósito da alma como o jovem rico, hoje o consumo é a resposta para o coração solitário. A obra de Deus já não é mais um tesouro para corações consumidos de individualismo.  A obra de Deus já não é mais segundo o bom coração, boa consciência, a obra de Deus já não é mais uma oferta e essa crise generalizada inclue os que pedem e os que podem ofertar.

O que faz falta não é recursos para generosidade acontecer, o que impede o compromisso não é a falta de tempo e dinheiro, é a prioridade e o amor!

Deus só ama quem da com alegria (2Cor 9.7). Só se alegra com a oferta quem ama! O restante é religião.

Não precisa explicar que o dízimo foi uma lei disciplinar bíblica (quem não sabe disso?). Precisamos aprender e entender é qual é a necessidade real e como encarar seus desafios comunitários!

A oferta é de amor, a lei só funciona quando não sei amar e só é enriquecido quem for generoso, toda generosidade resulta em ação de graças para quem recebeu no amor de Cristo a vida para compartilhar.

Joaquim Tiago Bill

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s